Dicas gerais

As vantagens de estudar na França

11 de agosto de 2018

Como a maioria de vocês aqui sabe, vim para a França como estudante. Primeiro, fiz cursos de francês e depois entrei para a universidade. Baseado na minha experiência, escrevo este texto sobre as vantagens de vir estudar fora do Brasil.

Estudar na França

Explicando aqui rapidinho: eu já havia estudado jornalismo no Brasil e já trabalhava na área havia mais de dez anos. Embora desde a minha adolescência quisesse morar fora, somente depois dos 30 anos é que consegui. E não me arrependo de nada. Acho que isso é uma decisão pessoal e íntima, que não diz respeito a ninguém.

Estudar na França

Se você tem vontade de ter essa experiência, mas tem ainda algum receio, talvez este texto possa ajudá-lo (a). Vou listar aqui as vantagens que observei nessa minha jornada de estudante estrangeira.

Estudar na França

1) Desafiar as próprias limitações – Esse foi um ponto super importante para mim. Apesar de ter sido boa nos estudos quando morava no Brasil, tinha uma dificuldade enorme em aprender línguas, no caso o inglês. Me matriculava em várias escolas e nunca evoluía. Já achava que o problema era somente eu, até que resolvi vir para cá e trocar o estudo de inglês pelo de francês.

Estudar na França

No meu primeiro dia da escola aqui em Paris, voltei para o apartamento, sentei no sofá e chorei, querendo voltar para minha casa no Brasil. Mas, como o curso já estava pago, continuei. E hoje, oito anos depois, vivendo em outro país e falando, na maior parte do tempo, uma língua que não é minha língua materna, vejo o quanto evoluí e superei meus limites. Então, se você gostaria de vir morar na França ou em outro país, tem as condições para isso, mas não vem porque tem medo de não conseguir ficar ou estudar, ignore o medo e venha. Acho até que só o ato de vir já é uma superação de limites.

Estudar na França

2) Aprender a se virar sozinho(a) – Acho que isso é um dos maiores pontos de se morar em um lugar onde a mão-de-obra é cara. Mesmo quem morava sozinho (a) no Brasil, ao vir em um país onde a faxineira custa os olhos da cara, vai ter um choque de realidade e aprender a colocar a mão na massa. E não falo isso só em relação à limpeza da casa – que você terá que fazer sozinho(a) -, mas também em relação a pequenos reparos, já que também pedreiros e afins custam super caro. No meu caso, aprendi a montar alguns móveis, porque não queria pagar alguém para fazer isso. Tá certo que na época tive a ajuda de uma das minhas alunas de português, mas mesmo assim aprendi.

Estudar na França

3) Aprender mais sobre uma outra cultura – Isso é uma das coisas que achei bem legal. A partir do momento em que saímos do Brasil, estamos ingressando em uma nova cultura, em outro modo de viver o cotidiano, de ver a vida e o mundo. Apesar das estranhezas em vários momentos, do sentimento de se estar perdida, é uma experiência que vale demais a pena. Eu adoro descobrir a cada dia mais sobre o país onde estou, mais dos hábitos da população e ver que, aos poucos, eu mesma incorporo muitos deles.

Estudar na França

E aí entra também aprender a comer diferente, a entender que muitos dos alimentos encontrados aqui não são os mesmos que encontramos no Brasil e a conviver com isso. Claro que, nas cidades grandes, podemos encontrar comida brasileira. Mas acho a gastronomia um importante ponto de integração. Se for para ficar comendo só comida brasileira – e pagando duas vezes mais caro que no Brasil -, sinceramente, não vejo motivos para sair do nosso país.

Estudar na França

E aprender outra cultura é também conviver com pessoas que têm essa cultura. Foram meus amigos franceses que me ensinaram os costumes do país, os lugares para visitar, o melhor jeito de viver aqui. A cada encontro com eles, um novo aprendizado. Para isso, precisamos deixar de lado os pré-conceitos, ou seja, as ideias que são clichês. Como, por exemplo, de que o europeu é mais fechado. Ele pode ser mais reservado, mas na verdade ele vê as relações humanas de outra forma e isso também é positivo. E uma vez que vocês se tornam amigos, pode ter certeza de que é uma amizade que vai durar muito tempo.

Estudar na França

4) Conhecer muitas outras culturas – Talvez isso se aplique mais para as grandes cidades. Mas o fato é que aqui em Paris, por exemplo, cruzamos com pessoas de várias nacionalidades. Eu mesma conheci tailandeses, vietnamitas (dividi a casa com dois), cambojanos, japoneses, chineses, mexicanos, colombianos, venezuelanos, espanhóis, russos e por aí vai. E tenho ainda contato com eles e são meus amigos. É gostoso aprender sobre os costumes deles e, ao mesmo tempo, ver que no fundo todos somos iguais (algo meio óbvio de que nos esquecemos com frequência).

Estudar na França

5) Poder realizar o tão sonhado curso de línguas ou uma faculdade – Tá certo que, com o valor do euro, os cursos de francês estão muito caros. Mas, ainda assim, valem super a pena. Ontem mesmo, uma das clientes que comprou um curso de francês comigo voltou ao Brasil (ela comprou o curso de um mês). Enquanto nos despedíamos, ela me disse que em um mês ela evoluiu bem mais do que em um semestre no Brasil. E que ela adorou poder colocar em prática no dia a dia tudo o que aprendeu na classe.

Estudar na França

Então, por mais que um curso de francês na França seja caro por causa do euro, se você colocar na ponta do lápis, ainda assim pode sair mais barato, considerando que você avança aqui mais rápido do que no Brasil. Assim, dependendo do seu esforço, em um mês você pode avançar um nível e economizar meses de curso em um país que não fala a língua que você está estudando.

Estudar na França

E isso para não falar da faculdade. Como disse, já tinha feito Jornalismo no Brasil. Mas, sempre quis fazer História da Arte, mas o curso que tinha visto em São Paulo custava um rim. Aqui em Paris, depois de estudar francês, consegui me matricular em uma universidade para fazer esse curso.

Estudar na França

E adivinha quanto paguei por ano? Apenas 170 euros por ano e podendo pagar em três vezes. E por um valor bem pequeno, tipo 5 euros a mais, havia ainda o centro cultural da faculdade, com cursos de fotografia, vídeo, sessões de cinema e muito mais. E havia também a academia universitária, para os mais esportivos. Hoje, em 2018, os valores das faculdades são: Licença 170 euros, Master (Mestrado) 243 euros, e Doutorado 380 euros. Isso na universidade. Existem, também, as grandes escolas (Grands Écoles) – com cursos como comércio, economia, jornalismo – , que são bem mais caras. Porém, ainda assim vale demais a pena, se você considerar que são algumas das melhores escolas do mundo, onde estudaram presidentes franceses, diretores de grandes bancos, etc.

Estudar na França

6) Poder pagar o investimento – Como escrevi ali em cima, estudar na França não é barato, ainda mais por causa da desvalorização do real em relação ao euro. Desde que eu vim para cá, em 2010, até hoje, o valor do curso mais do que dobrou. Mas, se você tem como fazer esse investimento e tem vontade de vir, venha. A curto ou longo prazo, você terá de volta o valor pago, seja trabalhando aqui (ficando legalmente, é claro) ou voltando ao Brasil, levando na bagagem uma experiência internacional na França, país que é conhecido pela excelência de sua cultura e de seus produtos.

Estudar na França

Se você souber valorizar isso, sua carreira vai melhorar e você vai ganhar bem mais, recuperando o valor investido. E se, ao vir para cá, você conseguir o visto de estudante, você já pode trabalhar durante os estudos, o que alivia consideravelmente as despesas aqui. Mas isso de trabalhar enquanto estuda só vale para quem vier estudar por um período maior do que seis meses.

Estudar na França

Bom, essas são algumas das vantagens que observei estudando aqui. Claro que a lista pode ser bem mais longa, mas por enquanto esses pontos estão bons para uma boa reflexão. Você também pode ler este post que escrevi sobre conselhos para estudar na França. E se você já se decidiu e quer viver a experiência, saiba que eu vendo cursos de francês. E comprando com o Direto de Paris, você beneficia da minha consultoria para melhor preparar a sua viagem e – se for o caso – o seu dossiê para pedir o visto de estudante. Eu mesma fiz o meu processo sozinha e, pela minha experiência, posso ajudar você. Para saber mais sobre o visto, veja o site do Campus France

Estudar na França

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentário (1)

  • Gabriela Torrezani Responder    

    17 de agosto de 2018 at 10:09

    Adorei ler o seu relato 🙂 também já mudei de país para estudar e concordo que é desafiador porém MUITO importante no crescimento pessoal! 😀 E a França é demaaaais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close