Dicas gerais

Estudar francês na França – Os tipos de curso

3 de novembro de 2014

Muita gente entra em contato comigo com vontade de estudar francês aqui na França. Elas têm esse sonho, mas não sabem nem por onde começar. Então, resolvi escrever esse texto, explicando como são as escolas e alguns cursos. Mas tudo é baseado na minha experiência, então, quem tiver algo a acrescentar, pode escrever nos comentários.

estudar francês
Paris X no inverno

Para começar, tem a questão do tempo do curso. Se você vai ficar na França por até três meses, não precisa de visto. Se você vai ficar entre três e seis meses, vai precisar tirar visto e ele não pode ser renovado aqui. Tem que voltar ao Brasil para renovar. E não permite trabalhar. Já se você pretende ficar mais de seis meses, você vai tirar o visto pelo tempo do seu curso e ele pode ser renovado sem precisar viajar ao Brasil. E também permite que você trabalhe.

estudar francês
Campus Langues – minha primeira escola

Dito isto, falta escolher a escola. Há escolas que começam novas turmas todas as segundas-feiras, ou que todo começo de semana, acrescentam novos alunos às salas já existentes. A primeira escola em que estudei, a Campus Langues, era assim: toda segunda-feira tinha aluno novo na nossa sala. Então, nesse tipo de escola, você pode fazer cursos curtos, mesmo de duas semanas. Você simplesmente frequenta o tempo pelo qual pagou.

estudar francês
E essa era a visão na frente da escola: o Bassin de la Villette

Já outras escolas possuem cursos com começo, meio e fim, com datas para começar e terminar. Nessas, não há muito a possibilidade de fazer cursos curtos, pois a maioria é de um semestre, que, na verdade, são quatro meses. De tempos em tempos, essas escolas abrem intensivões, e aí um módulo pode ser feito em um mês, por exemplo.

estudar francês
Um dos prédios do campus da Paris X, Nanterre

Nesses dois tipos de cursos, há ainda os ateliês, que podem ser de fonética, de escrita, de palestras sobre História e cultura francesas ou até mesmo visitas pela cidade. Algumas escolas os incluem no preço total, em outras eles são pagos à parte. Mas eu aconselho você a fazer, se possível, tudo o que oferecem. Na minha opinião, para se aprender bem o francês, é preciso sim estudá-lo o dia todo. Eu fiz todos os ateliês, pois na minha escola estavam no preço. Lembro com saudade principalmente das palestras e das visitas guiadas por Paris. Outra coisa, nesses dois tipos de curso de francês, com data fixa ou não, também há o teste de nível, para que você possa entrar na classe certa.

estudar francês
A Sorbonne, no Quartier Latin

Outro meio para se estudar o idioma é através dos cursos dentro das universidades. A minha segunda e última escola foi uma deste tipo. Quando ainda estudava no Campus Langues, fiquei sabendo que tinha um curso de Francês para Estrangeiros na Universidade Paris X (Nanterre) e que a inscrição estava acabando. Corri, reuni os documentos e me inscrevi.

estudar francês
O Campus de Nanterre

Quer dizer: os cursos das universidades são semestrais ou anuais. Eles também têm um período certo de inscrição e você tem que reunir alguns documentos, como o currículo e uma carta de motivação, na qual você explica o motivo pelo qual você quer estudar lá. A maioria também pede ao menos a nota do teste de ingresso em uma universidade do país de origem. No caso dos brasileiros, é a nota do vestibular ou do Enem. A procura é grande e há uma prova para ser admitido. Mas isso tudo varia de acordo com a escola/universidade.

estudar francês
O Institut Catholique de Paris

Então, para quem já mora há algum tempo na França, vai ficar mais (no mínimo um ano) e gostaria de, depois do francês, fazer uma faculdade, aconselho mesmo estes cursos dados pelas universidades. Eles são mais fortes, mais puxados e você realmente vai entrar no clima de uma universidade francesa. Na maioria deles, as aulas são durante o dia todo, são divididas por disciplinas – como na faculdade – e você fala bastante, mas escreve muito também: tem seminários para apresentar, livros para ler, trabalhos escritos para entregar e mini-dissertações para redigir. Um treino e tanto. Ao menos o meu em Nanterre era assim. A minha experiência lá foi tão boa, que depois me candidatei para a faculdade de História da Arte e fui aprovada. O lado ruim é que sobra muito pouco tempo para trabalhar e conhecer a cidade. Mas atenção nem todos os cursos que levam o nome de uma universidade são assim. Por exemplo, o curso de Civilisation Française da Sorbonne segue mais o estilo das escolas de francês do tipo que falei lá em cima: com data fixa e ateliês.

estudar francês
O Quartier Latin – o bairro dos estudantes

Vale lembrar: para quem vai tirar visto, o processo todo é feito com o Campus France Brasil e não é toda escola de francês que dá direito a ele. É preciso que ela tenha o selo FLE, uma espécie de controle de qualidade dado pelo governo da França.

estudar francês
Interior do Institut Catholique de Paris

Esse selo é necessário para quem vai ficar mais de três meses, mas se você vai ficar menos do que isso (ou seja, não vai tirar visto), pode estudar mesmo em uma escola sem o FLE. A primeira em que estudei, a Campus Langues – que mencionei acima – hoje não tem o selo, mas é uma boa escola. Tanto é que, com o francês que aprendi nela, consegui ser admitida no curso de Nanterre – que também mencionei mais para cima. Afinal, quem faz a escola é o aluno, não é verdade?

estudar francês
Minha turma do Campus Langues no happy hour: até a professora participava

Já contei no Turista Profissional sobre como foi o meu processo para tirar o visto no Campus France Brasil. Dá uma olhadinha no texto aqui.

E no site do Campus France há uma lista das escolas por toda a França que possuem o selo FLE.

E aqui vão os links dos dois lugares em que estudei: o Campus Langues e o curso da Paris X (Nanterre)

Atenção: esse texto foi somente sobre cursos de francês e coloquei aqui o mais detalhado possível. Infelizmente, a Campus Langues não dá mais direito ao visto de estudante. Então, se quiser vir para cá com este visto, tem que contatar outra escola. Eu vendo cursos de algumas, saiba mais aqui

Espero que o texto tenha te ajudado a entender um pouco mais como funciona estudar francês na terra do croissant. Se você tem esse sonho, vá em frente e comece a se planejar. É uma experiência maravilhosa e muda realmente a nossa vida.

estudar francês
No verão, o gramado de Nanterre fica lotado de estudante fazendo piquenique. Já no inverno, a diversão é lá dentro mesmo. Mas que a paisagem fica linda… ah, isso fica

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentários (71)

  • Wanice Bon'ávígo Responder    

    3 de novembro de 2014 at 1:25

    Muito bom, Renata! Parabéns!

  • Lisa Brasiliense Responder    

    3 de novembro de 2014 at 4:39

    Olá, Renata

    Suas informações são maravilhosas, práticas e claras. Obrigada. Ainda realizo meu sonho: estudar francês em Paris.

  • Gisela Responder    

    3 de novembro de 2014 at 11:16

    Adorei!!

  • Salete Responder    

    3 de novembro de 2014 at 11:56

    Muito obrigada pelas dicas. Foram valiosas e construtivas para amadurecer meus interesesses de estudar fora e uma lingua que admiro muito. Mas se for possível, em média de preço para um curso de um mês ou três meses em Paris, sairia quanto aproximadamente?

    • Renata Inforzato Responder    

      4 de novembro de 2014 at 21:33

      Oi Salete, os cursos variam demais de escola para escola, por isso que é melhor entrar na lista do Campus France (o link está no texto) e de lá ver os sites das escolas, onde tem o preço. Para um mês, a primeira escola que fiz, a Campus Langues é uma das poucas que dá esse tipo de curso (o link tb está no texto) Um abraço

  • George Responder    

    4 de novembro de 2014 at 1:25

    Muito legal. Diferenciado o trabalho que você está desenvolvendo. Gostei.

  • Elaine Braga Responder    

    4 de novembro de 2014 at 23:23

    Depois dos meus 5 anos de Aliança Francesa aqui no Brasil, eu adoraria fazer um curso destes! Minhas amigas querem fazer no começo do ano que vem. Vou mostrar a elas o seu post. Bises

    • Renata Inforzato Responder    

      5 de novembro de 2014 at 20:45

      Oi Elaine, vem com elas, rsrsrs. Um beijão e obrigada pelo comentário e pela indicação

  • Marilda Teixeira Responder    

    5 de novembro de 2014 at 0:23

    Oi Renata. Parabéns pelo texto, claro, objetivo, cheio de dicas importantes para quem quer estudar francês na “fonte”. Se eu fosse mais jovem, até poderia me aventurar, mas agora eu só quero mesmo é passear. rsrsrsrsrs
    Bjnhos

    • Renata Inforzato Responder    

      5 de novembro de 2014 at 20:44

      Obrigadão, Marilda, por estar sempre aqui me apoiando… Espero que volte logo pra gente passear. Um beijão

  • Marcie Responder    

    5 de novembro de 2014 at 8:02

    Renata, eu fiz os cursos da Aliança Francesa. Intensivos, 4 horas por dia. Eles começavam a cada começo do mês. E, como você recomenda, fiz todos os ateliers.

    Como você falou, o aluno é quem faz a escola, então pra mim funcionou. Mas eu acho que a Aliança enche muito as salas – complica muito. Mas à medida em que o curso vai avançando, diminuem os alunos – muitos desistem, ou têm problemas de visto.

    • Renata Inforzato Responder    

      5 de novembro de 2014 at 20:41

      Oi Marcie. Que legal ter vc aqui!!!! Pois é, o número de alunos por classe é um problema que também encontrei nas minhas duas escolas. No Campus Langues, como a cada segunda-feira tinha aluno novo, então, nunca diminuía, pois se alguns desistiam, outros entravam. Já em Nanterre, como era uma classe fixa, com data de começo e final de curso (ou seja, não entrava ninguém por semana), então, acontecia como na Aliança, o pessoal ia desistindo antes de terminar e o número ia diminuindo. Um beijão e obrigada pelo comentário

  • Alessandra Responder    

    22 de novembro de 2014 at 23:15

    Olá, Renata.
    Será que não existem mais os cursos oferecidos pelas mairies? Morei em Paris há muito tempo (1999/2000), na época havia cursos oferecidos para estrangeiros em quase todas as mairies. Eram cursos super baratos, se comparados com os da Aliança Francesa, por exemplo. E eram muito bons. Eu já tinha um bom nível, então fiz apenas um curso de argumentação (produção escrita). A gente fazia uma prova de seleção para saber se tinha o nível exigido. Eu gostei muito na época.
    Não lembro em qual mairie fiz a minha inscrição, (acho que foi no 5eme) mas as aulas eram em uma escola bem perto de onde eu morava (13eme).
    Parabéns pelo blog, é ótimo e super informativo!

    • Renata Inforzato Responder    

      23 de novembro de 2014 at 21:46

      Oi Alessandra! Os cursos dados pelas mairies (prefeituras) existem sim, mas eles não se encaixam no público do blog e nesse post. Isso porque eles não dão direito à visto (então, não servem para quem vem com visto de estudante para estudar francês) e só moradores de Paris que podem fazer (então, não servem para quem vem como turista). Obrigada pelo comentário. Beijos

      • Juliana Responder    

        8 de dezembro de 2014 at 11:46

        Renata, você sabe se esses cursos das mairies são obrigatórios para quem tem visto de trabalho? Meu marido está tirando esse e eu o long sejóur visiteur e estamos vendo as possibilidades para estudar francês.

        • Renata Inforzato Responder    

          10 de dezembro de 2014 at 14:06

          Oi Juliana. Eu não sei porque eu vim como estudante e com o curso já pago por mim. Então, veja com o consulado. De qualquer forma, vocês dois vão ter que aprender francês porque viver aqui sem saber o idioma é muito difícil. Um abraço

  • Damiana Responder    

    23 de fevereiro de 2015 at 3:25

    Olá Renata! Lendo seu post sobre os cursos de francês na faculdade, no seu caso foi na Paris x, vc disse que pedem nota do vestibular daqui do Brasil… Como vc acha que seria
    no meu caso, formei há 14 anos e estou fazendo outra faculdade, mas não fiz vestibular pq segunda graduação não precisa fazer… Vc sabe algo a respeito? Muito obrigada!

    • Renata Inforzato Responder    

      26 de fevereiro de 2015 at 19:41

      Oi Damiana, no histórico escolar da faculdade está escrito a nota do vestibular e ele serve também pra provar que você tem faculdade. Um abraço

  • Victor Responder    

    4 de maio de 2015 at 5:26

    Olá Renata!
    Publicação muito esclarecedora, gostei bastante!
    A minha única dúvida ficou na seguinte questão: estes cursos nas universidades não são como se você fosse iniciar uma Licence mesmo? O processo nesse caso é realizado pela Campus France mesmo? Quando você fez o curso para estrangeiros só se inscreveu direto com Nanterre? Se pudesse responder, agradeceria!!

  • Marcos Responder    

    3 de junho de 2015 at 13:00

    Renata,
    Gostei muito das dicas!!!!

    Estou olhando pelo site da Campus Langues que você sugeriu acima…
    A questão é que não sei NADA de francês!! Qual tipo de curso você me recomenda, e quanto tempo? Todos os cursos tem ateliês inclusos?

    Beijos
    Marcos.

    • Renata Inforzato Responder    

      5 de junho de 2015 at 17:57

      Oi Marcos, o curso recomendado tem que ser de acordo com o seu tempo livre, mas o nível é a escola que vai determinar. Lembrando que brasileiros só podem ficar até 90 dias na Europa sem a necessidade de visto. Quanto aos ateliês, depende do curso. Geralmente eles são incluídos nos cursos de 20horas por semana. bjs

  • rafaely Responder    

    9 de junho de 2015 at 10:01

    Ola Renata ,estou interessada na sua consultoria,como obtenho contato com você ?

    • Renata Inforzato Responder    

      9 de junho de 2015 at 22:52

      Oi Rafaely. Não faço mais consultorias. Mas consulte o site do Campus France, o link está no texto, que eles respondem tudo e de graça! E obrigado por comentar. Eu tinha até esquecido de tirar o parágrafo da consultoria, rsrs. Um abraço

  • Rebeca Responder    

    20 de julho de 2015 at 22:14

    Olá Renata, eu nunca fiz francês e não tenho conhecimento nenhum, porém preciso aprender para prestar uma prova que pretendo fazer.
    Eu ia começar um curso intensivo aqui no Brasil, na aliança francesa, mas surgiu a oportunidade de passar um tempo em Paris. Mas tenho receio de que esses cursos intensivos, de 26h/semana não valham a pena pra quem tá começando do zero.
    Qual sua opinião? Vale a pena fazer esse intensivo na França agora, ou melhor eu fazer pelo menos o básico aqui e fazer esse “intercâmbio” só quando eu tiver uma base?

    • Renata Inforzato Responder    

      25 de julho de 2015 at 12:54

      Olha, Rebeca, isso depende da sua facilidade com línguas. Até diria mais, da sua facilidade com o português. Venho notando que quem tem dificuldade com o idioma materno, vai ter com os outros também. Um curso intensivo aqui na França sempre ajuda, porque vc vai ter contato com a língua não só na escola, mas no dia-a-dia também. Mas, se você se sentir insegura, pode fazer um módulo no Brasil ou pegar um professor particular e aprender o básico dois ou três meses antes de viajar. Sabendo que aqui a gente quase sempre volta um nível, pois não temos a vivência da conversação quando chegamos. Um abraço

  • Raquel Responder    

    25 de julho de 2015 at 12:10

    Oi Renata! Obrigada pelas dicas preciosas.

    Tenho uma dúvida. Se eu for pra França fazer curso de francês por um ano, durante esse período eu posso me candidatar a um curso universitário e renovar meu visto?

    Abraços e parabéns pelo trabalho!

  • ERICA MENDES Responder    

    15 de setembro de 2015 at 2:08

    Olá Renata! Seu artigo me inspirou ainda mais! Sou advogada e gostaria de fazer o master em alguma universidade francesa. Sou aluna do SIII de um curso de francês aqui na minha cidade, porém, não é suficiente para adquirir o nível exigido pelas universidades francesas. Nesse caso, tenho planos de me candidatar ao curso oferecido pela Nanterre. Dei uma olhada no site e li algo sobre prioridade aos estudantes que já estão na França. Sabes se poderia participar da seleção estando no Brasil?

    • Renata Inforzato Responder    

      15 de setembro de 2015 at 19:11

      Oi Erica. Para esses tipos de questão é melhor entrar em contato direto com eles e explicar seu caso. Mas como eles têm o certificado FLE (exigido para o visto), acho que pode sim. Mas melhor falar com eles. O link do curso de Nanterre está no texto. Um abraço

  • Palova Responder    

    24 de setembro de 2015 at 11:52

    Dei uma pesquisadinha e estou pensando em fazer um curso de 3 semanas en Montpellier, da Accent. Uma colega e o namorado fizeram. Achei o preço bom e a cidade bem simpatica e mais barato que Paris, claro.

  • Raquel Responder    

    2 de outubro de 2015 at 12:29

    Quais sao os cursos mais baratos… quero muito ir pra franca… quero ir pra fazer formação superior pois é mais barato, mas o ano letivo só começa em setembro… mas decidi que quero ir antes pra fazer curso de francês, mas o euro tá altissimo… obrigada demais pelo post.. me ajudou muito.. diz os cursos mais baratos pra aprender francês… vc tem recomendação de cidades que sejam mais faceis para arrumar trabalho..

    • Renata Inforzato Responder    

      2 de outubro de 2015 at 16:03

      Oi Raquel
      Infelizmente curso barato não tem ou quando tem ele não dá direito ao visto de estudante. E se vc pretende ficar até o começo do ano letivo, tem que pegar um curso que dure mais de seis meses, caso contrário, tem que voltar ao Brasil para renovar o visto. As cidades menos difíceis para arrumar trabalho são: Paris, Lyon, Marseille, Toulouse, Nice, Nantes, Strasbourg, Montpellier, Bordeaux, Rennes, tendo em vista que estudante só pode trabalhar 20 horas (é que o visto permite). Essas são as maiores cidades francesas, mas, para a gente que está acostumado com a noção de cidade grande brasileira, as francesas podem parecer pequenas. Um abraço

      • Raquel Responder    

        2 de outubro de 2015 at 22:51

        Oi novamente. É muito difícil arrumar emprego de 20h nessas cidades q mencionei?

        • Renata Inforzato Responder    

          5 de outubro de 2015 at 15:59

          Oi Raquel, é difícil falar porque cada cidade é uma realidade e cada profissão também. Seria a mesma coisa que perguntar para alguém de SP se é fácil arrumar emprego em Manaus. Depende também muito do grau de integração, da disposição em trabalhar em qualquer coisa, da economia da cidade. Eu citei essas porque são as maiores e teoricamente em cidade maior é mais fácil, mas daí a afirmar como são as cidades é complicado.

  • Julia Cristina Valério e Silva Responder    

    3 de outubro de 2015 at 20:43

    Obrigada pelas dicas…

  • Fraisa Mendes Responder    

    28 de outubro de 2015 at 16:19

    Olá Renata
    Depois de terminares o francês na França, como foi para obteres o visto de estudante universitária ?
    Parabéns pelo blog

    • Renata Inforzato Responder    

      28 de outubro de 2015 at 22:52

      Oi Fraise, é o mesmo processo que para o curso de francês: se o visto que você tinha é de menos de um ano, tem que voltar para o Brasil para renovar (com a inscrição da faculdade) se o seu visto é para um ano, renova aqui (também com papel da faculdade). Um abraço

  • Pedro Gonzalez Responder    

    27 de janeiro de 2016 at 21:16

    Muito legal seu texto!!!!! Ajudou muitoooo. Parabéns.

  • Patricia Responder    

    8 de fevereiro de 2016 at 12:32

    Oi Renata ,gostaria de uma indicação sua!
    Minha filha está em Paris e gostaria de ajuda- la a escolher um bom curso de françes.
    Qual a sua preferência : France Langue ou IC P ( Institut Catholique de Paris)
    Muito obrigada
    Patricia

  • Alan Responder    

    10 de abril de 2016 at 2:50

    Renata, como está para o estudante conseguir trabalho ai? E a media que ganham por mês? Tenho delf b2 mas pretendo ir com minha esposa e fazer um semestre de frances depois aplicar para um mestrado na sorbonne.

    Outra questao, durante o mestrado, pelo que li, complica conseguir emprego devido aos horários das aulas, confere? Mesmo assim é possivel conseguir algo pra ajudar nas despesas?

    Se ouderes responder te agraco, obrogado!

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      11 de abril de 2016 at 20:50

      Oi Alan. Está difícil sim conseguir emprego. Agora quanto ganha é difícil saber, porque depende do trabalho. É puxado estudar e trabalhar, mas perfeitamente possível, pois eu fiz. Agora, para um casal, o salário de estudante não basta, tem que os dois trabalhar. Outra coisa: se você for fazer só um semestre de francês, eles vão te dar somente 6 meses de visto e aí você tem que voltar ao Brasil para renovar e visto de 6 meses não pode mais trabalhar. Então, tem que ver bem o tempo que você vai ficar já na hora pra pedir o visto. E o curso de francês tem que ser completamente pago antes da viagem (quase nenhuma escola aceita pagar depois). Um abraço

  • Sandra Roth Responder    

    3 de maio de 2016 at 22:18

    Boa Noite Renata. Me chamo Sandra, moro na Suiça e estou procurando um curso de françes para as crianças nas férias proximo a praia. Suas informações são valiosas e talvez em meu caso possa me dar uma dica. Muito Obrigada Sandra

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      6 de maio de 2016 at 20:47

      Oi Sandra, não sei a idade dos seus filhos, mas neste texto eu falo das escolas de francês que vendo, tem em La Rochelle, Biarritz e Côte d’Azur http://diretodeparis.com/cursos-de-idiomas-no-exterior/. Mas tem uma idade mínima para entrar, que é 16 anos. A não ser que você procure um curso específico para crianças em alguma cidade (mas com você ficando junto na cidade). Porém, não sei se há cursos assim específicos para as férias. Um abraço

  • Rayra Responder    

    26 de maio de 2016 at 15:01

    Olá, Renata! Agradeço pelo esclarecimentos do post, mas tenho uma dúvida. Eles tem alguma restrição em relação à idade na hora de obter alguns direitos estudantis, os benefícios da Sécurité Sociale e do auxílio moradia da CAF? Ou para eles não importa a idade que você tem, o que importa é ser estudante?
    Obrigada

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      29 de maio de 2016 at 11:56

      Oi Rayra, para a sécurité sociale de estudante tem sim um limite de idade. Já para a CAF depende. Só que, sinceramente, acho meio complicado a gente vir pra cá como estudante e pedir esse tipo de ajuda. Porque para podermos tirar o visto e depois renová-lo, temos que provar que temos dinheiro para viver aqui (o valor pedido depende da cidade) e neste valor tem que estar incluída a despesa com aluguel. Se você pede uma ajuda do governo, no caso a CAF, significa que você não tem condições de pagar o aluguel (tem que ter baixa renda pra pedir) e aí complica na questão de renovar visto. E eles são exigentes com condições financeiras. Tanto é que as poucas pessoas que conheço que pediram a CAF não eram estudantes. É possível vir pra cá, se aperfeiçoar no francês, arrumar um trabalho e viver dele (de modo modesto). Foi o que aconteceu comigo. Um abraço

  • Tânia Addison Westphalen Responder    

    7 de setembro de 2016 at 20:59

    Cara Renata,
    Escrevi-lhe pedindo sugestões; não sei se recebeu. Meu nome é Tânia Addison Westphalen.
    E-mail:twidiomas@yahoo.com.br
    Desde já, obrigada!

  • Carol Responder    

    3 de janeiro de 2017 at 2:52

    Olá Renata,
    Como vai ?
    Primeiro gostaria de parabenizar seu trabalho. Estou encantada !
    Bom, sou fundadora e diretora de uma creche escola aqui no Brasil. A metodologia de ensino da minha escola é francesa. Eu e minha mãe (que também é diretora pedagógica) iremos à Paris em 2017. Nossa previsão é no mês de setembro. Gostaria de saber se você poderia me indicar alguma escola de cursos curtos (de educação e variados também), pois vamos ficar duas semanas em Paris e queremos aproveitar para estudar.
    Meu outro pedido, seria também uma orientação. Eu gostaria de fazer algum tipo de parceria da minha escola com alguma entidade francesa. Ter um possível vínculo educacional ou de intercâmbio educacional, enfim…algo que fosse possível, pois todo apoio ou informação vindo de Paris seria ótimo para nosso aprendizado.

    Muito obrigada desde já.

    Abraços.

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      9 de julho de 2017 at 1:04

      Oi Carol, eu vendo cursos de francês para três escolas. Se estiver interessada em estudar, me escreva no email contato@diretodeparis.com. Já em relação à parceria, não sei como funciona. Acho que tem que conversar com cada uma. Um abraço

  • Trinny Responder    

    16 de março de 2017 at 2:02

    Olá! Eu gostaria de fazer um curso na Campus Langues, mas lá não tem o FLE, isso significa que não seria aprovada pelo consulado? Perguntei pra eles e eles não sabem explicar.

  • Juliana Terezinha Miranda Responder    

    4 de maio de 2017 at 2:47

    Olá! Muito esclarecedor seu post! Então quer dizer que se eu me matricular em um curso de francês com duração superior a 6 meses tenho permissão de trabalho? No caso 7 meses então já seriam suficientes? Não sabia dessa possibilidade, e assim posso até sonhar em estudar por aí – até posso pagar pelas despesas durante o tempo, mas é um investimento considerável, e trabalhando nem que seja por um pequeno período já ajudaria.

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      16 de maio de 2017 at 11:11

      Oi Juliana, sim, com sete meses você já pode trabalhar e renovar o visto por aqui, se quiser ficar mais. Só que é preciso ter o curso todo pago, exigência do consulado, e em uma das escolas com o selo FLE. Mas dá pra vir e trabalhar aqui sim, foi o que eu fiz.

  • Lourdes Ribeiro Responder    

    15 de maio de 2017 at 13:33

    Oi Renata, como vai?
    Você ainda trabalha como agente de cursos de francês? Eu estou muito interessada. Já lhe enviei um e_mail sobre isso, não sei se você recebeu. Minha intenção é permanecer por dois meses em Paris para estudar francês.
    Lourdes Ribeiro
    lourdinha_a_ribeiro@hotmail.com
    Obrigada!

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      16 de maio de 2017 at 10:53

      Oi Lourdes. É que recebi muitas mensagens nesses tempos e estou respondendo na ordem. Vou procurar a sua. Obrigada por me escrever

      • Lourdes Ribeiro Responder    

        16 de maio de 2017 at 15:25

        Tudo bem Renata?
        Estou mesmo muito entusiasmada com a possibilidade de ir em estudar Paris.
        Aguardarei seu retorno ansiosamente!
        Um grande abraço.

  • cintia Responder    

    4 de junho de 2017 at 22:18

    Amei as informaçoes

  • Matheus Niquelatti Responder    

    15 de agosto de 2017 at 13:24

    Bom dia, Renata.
    Tudo bem?
    Então, estou fechando um pacote de 25 semanas de curso (6 meses e 1 semana) no Langue Onze, em Toulouse, vinculada com o Campus France. Minha maior dúvida é em relação ao visto, quero fazer esse curso superior a 6 meses pra poder ficar na frança e fazer a renovação do meu visto por lá, é possível, certo?

    Um grande beijo, e parabéns pelo site.

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      15 de agosto de 2017 at 14:09

      Oi Matheus, vai depender da interpretação do Consulado. Em todo o caso, a pessoa com quem vc vai comprar é que tem de te orientar se o número de semanas é bom ou não, ou se é melhor comprar algumas semanas a mais. Eu sempre oriento meus clientes nesse sentido e depois ainda ajudo com o dossiê para evitar que o consulado dê um visto de seis meses ou o visto de visitante (que impede de trabalhar). Boa sorte, um abraço

  • Matheus Niquelatti Responder    

    17 de agosto de 2017 at 2:37

    Você monta esse tipo de curso também? Bacana. Podemos conversar sobre? Seria de grande interesse. Minha ideia é essa, um curso com duração de 6 meses e algumas semanas pra ter visto renovável e ingressar numa faculdade, posteriormente. Se puderes me mandar um e-mail, pra gente conversar melhor. Obrigado

  • Rafael Responder    

    26 de agosto de 2017 at 15:06

    Ola renata, lhe enviei um amail com algumas questoes. Obrigado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close