Atrações

Porte Saint-Denis e Porte Saint-Martin – As antigas portas de Paris

25 de janeiro de 2016

Quando andamos pelo 10eme arrondissement, duas espécies de arco do triunfo chamam atenção: são as Porte Saint-Denis e Porte Saint-Martin. Essas portas de Paris são dois belos exemplos da arquitetura e arte do século XVII e testemunham uma época de ouro da monarquia francesa.

Portas de Paris
Porte Saint-Denis

Ao longo da história da cidade, várias muralhas foram sendo construídas. Essas muralhas possuíam aberturas, as portas, que eram pontos de partida ou chegada de várias rotas, muitas delas usadas desde a época dos romanos.

Portas de Paris
Porte Saint-Martin

Havia a Porte Saint-Bernard, a Porte Saint-Antoine, Porte Saint-Honoré, a Porte Saint-Denis, Porte Saint-Martin e outras. Até que no século XVII, Louis XIV decide destruir as muralhas para construir bulevares. Ele também reconstrói e embeleza essas portas, que marcam a separação da cidade e seus faubourgs (subúrbios). Porém, por causa de mudanças em Paris ou por causa da Revolução Francesa, várias delas foram destruídas, sobrando apenas duas.

Portas de Paris
Porte Saint-Martin

Porte Saint-Denis
Então, hoje restam apenas a Porte Saint-Denis e a Saint-Martin. A Saint-Denis foi construída em 1672, onde já havia uma outra porta, da época medieval. O lugar era estratégico, pois ficava na entrada na rota que vinha do Norte e da Basílica de Saint-Denis, que é onde os reis franceses eram enterrados.

Portas de Paris
Porte Saint-Denis

Apesar de ser chamado de porta, é uma espécie de arco do triunfo, pois celebra as vitórias militares do Rei Sol. O arquiteto é François Blondel, um dos maiores da época. Inspirada no arco de Tito, em Roma, a Porte Saint-Denis celebra as vitórias de Louis XIV no Reno e na região de Franche-Comté. Apesar da chamada guerra da Holanda só acabar em 1678, e não ter sido uma vitória completa, as vitórias do rei francês nas batalhas já foram motivo para construções monumentais em Paris.

Portas de Paris

Nas duas faces do arco, obeliscos, fixados à parede, saem de um pedestal e terminam por globos terrestres, que são coroados e decorados por flores de Lis, símbolo da Monarquia Francesa. Esses obeliscos são decorados por símbolos militares e de vitórias. Nos pedestais, duas pequenas portas são abertas, para a passagem de pedestres, uma exigência da cidade, para desgosto do arquiteto Blondel.

Portas de Paris

Na face sul, na base do obelisco da esquerda, a decoração mostra a Holanda desesperada, ao lado de um leão machucado, que esmaga com a pata uma espada e sete flechas (alusão à derrota das Sete Províncias Unidas, nome dos países baixos na época). No da direita, o Reno, representado por um homem, segura uma cana de leme (um pedaço de madeira que permite manobrar o leme de um barco).

Portas de Paris
Face sul, base esquerda do obelisco
Portas de Paris
Face sul, base do obelisco à direita

Na parte de cima do monumento, ainda na face sul, entre o arco e o entablamento um baixo relevo representa Louis XIV, vestido como na Antiguidade, comandando a passagem de suas tropas pelo rio Reno.

Portas de Paris
Louis XIV comandando a travessia do Reno

Na face norte, em cima, o soberano também é representado na Tomada de Maastricht. Já na base dos pedestais, a decoração é de leões deitados.

Portas de Paris
A tomada de Maastricht

No topo das faces, a inscrição em bronze: Ludovico Magno, ou seja, Luis, O Grande. O autor das esculturas é Michel Anguier.

Portas de Paris
A inscrição lá em cima em bronze dourado: Ludovico Magno (Luis, o Grande)

Durante a Revolução Francesa, o monumento escapou por pouco de ser destruído. Já na época do império, no começo do século XIX, passou pela primeira restauração. Seria ainda renovado na metade do século, antes de se tornar monumento histórico, em 1862. A Porta Saint-Denis seria restaurada de novo na década de 1990. Talvez, em breve, ela precise passar por trabalhos novamente. Suas dimensões são 25m de altura por 25m de largura e somente 5m de espessura. Já o arco tem 15m de altura e as duas portas, 3,30m por 1,70m, cada uma.

Portas de Paris

Porte Saint-Martin
A outra porta que ainda existe é a Saint-Martin. Ela foi construída a partir de 1674, no lugar de outra mais antiga, de mesmo nome, também para glorificar o rei. Ela fica pertinho da Porte Saint-Denis e tem dimensões mais modestas, 18m de altura. Ela leva esse nome por causa da proximidade com o priorado Saint-Martin-des-Champs.

Portas de Paris
Porte Saint-Martin

O arquiteto da Porte Saint-Martin é Pierre Bullet e ele fez um projeto com três arcos, um maior, mais central, de 5 metros, e dois laterais, de 2,5 metros, para os pedestres. Em cada face, dois baixos relevos, acima das pequenas portas.

Portas de Paris

A face sul é a mais trabalhada. No lado esquerdo o tema é a dissolução da Tríplice Aliança e mostra Louis XIV, vestido como um Hércules, coroado pela Vitória e pisando nos inimigos. O autor da obra é Etienne Le Hongre.

Portas de Paris

No lado direito da mesma face, o tema é a Tomada de Besançon, uma cidade francesa na região da Franche-Comté, província conquistada pela França na guerra da Holanda. Na obra, Louis XIV recebe, de uma mulher ajoelhada, as chaves da cidade. A obra é de Martin Desjardins.

Portas de Paris

Na face norte, lado direito, o tema é a tomada de Limbourg, em 1675, e a derrota dos alemães. A representação alegórica da cena é uma mulher sentada perto de um leão deitado e soldados lutando. O autor da obra é Pierre Legos.

Portas de Paris

Já no lado esquerdo da face norte, os baixos relevos mostram a derrota dos alemães. Louis XIV segura o escudo da França e afasta a água alemã para proteger uma mulher e um idoso. O autor é Gaspar Marsy.

Portas de Paris

Os motivos decorativos da estrutura do monumento em si são obras de Pierre Warin e Louis Maloeuvré.

Portas de Paris

Portas de Paris

E, assim como sua vizinha Saint-Denis, a Porte Saint-Martin também tem uma inscrição, desta vez na face sul: À Luis, o Grande, por ter conquistado duas vezes Besançon e a Franche-Comté e ter vencido os exércitos alemão, espanhol e holandês. Já a da face norte faz alusão à tomada de Limbourg.

Portas de Paris

A Porte Saint-Martin também foi muito danificada na Revolução Francesa. Sua primeira restauração foi em 1818. A segunda foi em meados do século XIX. Em 1862, é classificada, junto com a Porte Saint-Denis, como Monumento Histórico. A última vez em que foi restaurada foi em 1988.

Portas de Paris

Visitando as duas portas, você vai conhecer um bairro muito animado e um dos mais populares da cidade, com uma diversidade cultural muito grande. É um passeio bem legal e que sai um pouco da rota turística tradicional. É uma Paris um pouco diferente. Eu gosto!

Portas de Paris
Porte Saint-Denis

Porte Saint-Denis
Endereço: no cruzamento do eixo Saint-Denis (rue Saint-Denis e rue du Faubourg Saint-Denis) e o boulevard de Bonne Nouvelle e boulevard Saint-Denis
Porte Saint-Martin
Endereço: no cruzamento do eixo Saint-Martin (rue Saint-Martin e rue du Faubourg Saint-Martin) e o boulevard Saint-Denis e boulevard Saint-Martin.
75010 Paris
Metrô: Strasbourg-Saint-Denis – linhas 4, 8 e 9.

Porte Saint-Denis

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentários (8)

  • vania Responder    

    26 de janeiro de 2016 at 13:16

    Fiquei hospedada uma vez próximo de Porte Saint Martin, lembro-me que tomamos café bem em frente ao pórtico (tem uma cafeteria ótima, o atendente foi muito gentil, nos ensinou váris palavras em francês), vi muitos casais tirando fotos com o pórtico ao fundo … pena que não tinha este histórico na época, com certeza teria apreciado melhor este monumento lindo!.

    • Renata Inforzato Responder    

      27 de janeiro de 2016 at 21:39

      Oi Vania, que legal que você ficou ali. Mas o importante é que agora você leu o histórico e quem sabe você volta logo para ver tudo de perto. Um beijo

  • Eduardo Von Atzingen Responder    

    28 de janeiro de 2016 at 18:14

    Mais uma ótima reportagem com as informações e fotos que adoramos. Eu já fiquei também perto do Port de Saint Martin e o lugar é bem legal.
    Dica: ali perto tem um maravilhoso museu – Art et Métiers – em uma antiga abadia este lugar é para quem gosta de arquitetura, engenharia, máquinas e equipamentos. Também tem um café e uma lojinha. Vale a pena!! 292 rue Saint-Martin, 75141 http://www.arts-et-metiers.net

    • Renata Inforzato Responder    

      31 de janeiro de 2016 at 5:00

      Oi Eduardo. Esse museu é maravilhoso mesmo, está na lista para os próximos textos. Obrigadão

  • Martinha Andersen Responder    

    4 de novembro de 2016 at 13:20

    Passava nos arcos todos os dias. Trabalhava bem perto. E sempre parava para dar uma babada nos detalhes =)

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      5 de novembro de 2016 at 12:40

      Oi Martinha, que legal! Ali não tem como ter tédio, né? Sempre tem alguma coisa pra ver nas ruas, fora que as portas são lindas. beijão

  • Luciana Rodrigues Responder    

    23 de novembro de 2016 at 11:24

    Lendo seu post me veio em mente uma curiosidade. A tal Porte Maillot, de onde saem os busões da Terravision, também tem alguma porta antiga, ou é só o nome. Adorei o post e a riqueza de detalhes das fotos.

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      27 de novembro de 2016 at 22:01

      Oi Lu. Portas antigas são só essas duas e as que já foram demolidas (Saint-Bernard, Saint-Honoré e Saint-Antoine). Mas hoje, as saídas de Paris para a via expressa (chamada Péripherique) são chamadas de portas. A Porte Maillot é uma delas. Obrigadão pelo comentário, um beijão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close