Atrações

Place des Victoires – a bela praça parisiense que celebra a vitória

31 de janeiro de 2017

As praças de Paris estão entre as mais bonitas do mundo. A minha praça parisiense preferida é a Place des Victoires, que fica entre o 1e e o 2e arrondissements da cidade. Passo por ela quase todos os dias e por isso fui pesquisar um pouco mais sobre sua história e curiosidades, que conto tudo aqui.

Praça parisiense

No texto sobre a Place des Vosges expliquei sobre as Places Royales (Praças Reais). Elas foram criadas para homenagear reis e se caracterizam pela simetria. A Place des Victoires é a primeira das que foram dedicadas a Louis XIV.

Praça parisiense

Na verdade, a praça deve o seu nascimento a uma estátua deste soberano, conhecido como o Rei Sol. A história é que um nobre da corte, o duque de La Feuillade, que era também Marechal da França, resolve encomendar, em 1679, uma estátua ao escultor Martin Desjardins dedicada ao soberano e às suas vitórias militares.

Praça parisiense
Rue d’Aboukir, que dá para a praça

A estátua encomendada era uma réplica de outra do mesmo artista. Ela mostrava Louis XIV de pé, com o manto da coroação, esmagando um cerbero (figura mitológica) e sendo coroado por uma vitória. No pedestal, em mármore branco, baixos relevos e a presença de quatro escravos. Nesta época, a França havia assinado a paz de Nimègue, acabando com as guerras contra algumas nações, das quais ela saíra vencedora. Os países vencidos foram a Espanha, a Holanda, o Sacro Império Romano-Germânico e o Piemonte (a Itália ainda não era um país unificado). Assim, os escravos do pedestal representavam estas quatro nações.

Praça parisiense
A antiga estátua de Louis XIV, encomendada pelo duque

O duque, não contente em oferecer a estátua ao rei, decide construir uma praça para servir de moldura para a obra. Assim, ele contrata o arquiteto Jules Hardouin-Mansart, um dos mais prestigiados profissionais da época, vindo de uma família de tradição em Arquitetura. Ele era sobrinho-neto de François Mansart, que até hoje é considerado um dos maiores arquitetos de todos os tempos. E Jules mesmo vai entrar nesse panteão dos maiores da História.

Praça parisiense
Uma das lojas da praça

Hardouin-Mansart concebe um projeto inovador para a época: uma praça circular, rodeada por palacetes de acordo com a última moda de então. As construções deveriam ser simétricas: o térreo com arcadas, o primeiro e segundo andares ligados por pilastras iônicas e o último em mansarda. Esta decoração clássica daria uma imagem de imponência para a praça.

Praça parisiense

Para viabilizar os novos palacetes, La Feuillade compra o Hôtel (palacete) de Senneterre, entre outras construções vizinhas. A cidade de Paris compra também alguns imóveis ali, pois não queria ficar fora do projeto. Eles são demolidos ou adaptados para formar a nova praça. Apesar do projeto circular, a Place des Victoires não é um círculo perfeito. É mais a forma de uma ferradura.

Praça parisiense

O duque de La Feuillade gasta fortunas com a construção, que começa em 1685. Porém, gastar com o rei é sempre uma boa ideia. Em uma correspondência com Madame de Sévigné (uma nobre poderosa da época, que morava onde hoje fica o Musée Carnavalet), Bussy-Rabutin, outro nobre, diz a propósito da construção da praça: “O rei, que ama ser amado, vai devolver o investimento com juros”.

Praça parisiense
Outra loja da praça

A praça é inaugurada em 1686 com grande pompa. A estátua, no centro, é iluminada por quatro fanais (tipo de farol), suportados por colunas, cujas chamas ficavam acesas a noite toda, atraindo a presença de arruaceiros e vagabundos. E também o sarcasmo de alguns parisienses, que zombam com o fato de que o Rei Sol precisa ser iluminado por faróis. Eles são retirados somente em 1718.

Praça parisiense
Detalhe de uma das construções da praça

A obra também suscita algumas críticas, que dizem que a praça, com diâmetro de 39 metros, é muito pequena para a imponente estátua. Mas, segundo os especialistas, é a circunferência ideal para contemplar a imagem do soberano.

Praça parisiense
Uma agência bancária na praça

Porém, na época da Revolução, em 1792, a estátua é destruída. No lugar colocam uma pirâmide de madeira e depois uma estátua do general Louis Charles Antoine Desaix. Porém, esta última não dura muito tempo, pois o militar está completamente nu. Alguns bronzes do pedestal da antiga escultura do rei hoje podem ser vistos no Louvre.

Praça parisiense

Até que em 1822, durante o reino de Louis XVIII (irmão de Louis XVI), uma nova obra é encomendada ao escultor François-Joseph Bosio. Desta vez, o Rei Sol está em um cavalo, em posição de poder, com uma coroa de louros na cabeça e vestido um imperador romano. No pedestal, dois baixos-relevos em bronze, que mostram feitos de Louis XIV: Le Passage du Rhin (A Passagem do Reno) e Institution de l’ordre royal et militaire de Saint-Louis en 1693 (Instituição da ordem real e militar de São Luís em 1693, também de Bosio.

Praça parisiense

Praça parisiense

Praça parisiense
Um dos baixos-relevos do pedestal: : Le Passage du Rhin
Praça parisiense
O outro baixo-relevo do pedestal: Institution de l’ordre royal et militaire de Saint-Louis en 1693.

Nesta época, os palacetes já tinham sofrido modificações e iriam sofrer ainda mais. Principalmente com o alargamento da rua Croix-des-Petits-Champs, da rua de La Feuillade e a construção da rua Étienne-Marcel, que dão para a praça. A instalação das lojas também causa mudanças nas construções. Alguns palacetes do século XVIII são destruídos. Mas, ainda assim, uma certa simetria continua a existir.

Praça parisiense

Praça parisiense
Rue Étienne-Marcel

A posição estratégica da praça, entre a Bourse (Bolsa) e o Palais-Royal faz com que ela seja bastante frequentada e animada durante o século XIX. O lugar abriga, então, uma série de lojas tradicionais e é conhecido pela presença de comerciantes de tecidos.

Praça parisiense

É interessante notar as referências à nova estátua, como no detalhe do imóvel perto da rua d’Aboukir, onde fica a loja Hartford, e também no que está na esquina da rua Étienne-Marcel. A praça é inscrita como Monumento Histórico em 1962 e a estátua em 1992. Em 2005, a obra é restaurada.

Praça parisiense
Detalhe do imóvel perto da rua d’Aboukir , onde hoje está a loja Hartford
Praça parisiense
Detalhe de um imóvel na esquina da praça com a rua Étienne-Marcel

Hoje, a Place des Victoires continua despertando a admiração de quase todos que passam por ela. As lojas mudaram um pouquinho. Hoje, estão instaladas ali boutiques de moda, como a Kenzo ou a Pronovias (de roupas de casamento), de acessórios, agências imobiliárias, agência bancária e escritórios. Tudo sob o olhar vigilante do Rei Sol, do alto do seu cavalo.

Praça parisiense

Place des Victoires
75001 e 75002 – Paris
Metrô: Bourse – linha 3
Sentier – linha 3

Praça parisiense
Uma obra de Space Invader. Arte de rua na Place des Victoires.

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentário (1)

  • Fernanda - Blog Tá indo pra onde? Responder    

    7 de fevereiro de 2017 at 15:47

    Que praça linda! E agora ainda mais legal passar por lá sabendo de toda sua história! Acho que não passei quando fui a Paris, mas tá tão pertinho de pontos turísticos, que o desvio mínimo vale a pena!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close