Val de Loire

Nove castelos do Vale do Loire para ir de trem

3 de novembro de 2019

O Vale do Loire é uma das regiões mais bonitas da França. Recheada de castelos, muitos deles são acessíveis em transporte público. Neste texto, vou mostrar alguns dos châteaux que podemos conhecer indo de trem.

Vale do Loire
A cidade de Chinon vista da fortaleza

1) Blois – O castelo de Blois dispensa apresentações. Ele é conhecido pelas suas três alas de diferentes épocas e por ter sido uma das residências principais dos reis no final da Idade Média e começo do Renascimento.

Château de Blois

Chegar até o château a partir da estação de trem de Blois a pé é muito fácil: o trajeto toma apenas uns minutos. Tem uma subidinha no meio, mas nada que canse. Para saber um pouco mais sobre o lugar, veja o post que escrevi sobre o castelo de Blois.

Vale do Loire

2) Amboise – A cidade de Amboise não abriga só um, mas três castelos. O principal é o Château de Amboise, que marca a transição da arquitetura francesa da Idade Média para o Renascimento. Antes de Blois, este castelo também foi residência dos reis. Foi ali, inclusive, que nasceu e morreu Charles VIII.

Château de Amboise
O castelo visto da ponte

Ir a pé da estação de Amboise até o castelo dura uns dez minutos. E pelo caminho você vai tendo uma bela vista do château e do rio Loire. E vai passar por uma bela ponte. Para mais informações, tem um post sobre o Château de Amboise aqui no blog.

Vale do Loire

3) Clos Lucé – Conhecido por ser a última residência de Leonardo da Vinci, hoje abriga várias réplicas de suas invenções dentro do castelo e também em um parque muito legal. Os cômodos do château dão uma ideia de como o artista vivia, inclusive, os seus ateliês foram reconstituídos em algumas salas.

Clos Lucé

O Clos Lucé também fica em Amboise, a apenas uns 10 a 15 minutos de distância do Château de Amboise. Da estação da cidade, são uns 20/25 quilômetros de caminhada, mas o percurso é agradável. Para saber mais sobre a visita, veja o post sobre o Clos Lucé.

Vale do Loire
O parque do castelo, com as invenções de Leonardo da Vinci

4) Château Gaillard d’Amboise – Ele tem esse nome para não ser confundido com o outro Château Gaillard, que fica em Les Andelys, na Normandia. Esse de Amboise também tem uma história interessante, pois ele foi dado pelo rei da França, François I, ao seu jardineiro, Dom Pacello. A visita é uma delícia: além do castelo, podemos ver os jardins e fazer algumas trilhas.

Château Gaillard d'Amboise

O Château Gaillard d’Amboise fica a menos de 5 minutos a pé do Clos Lucé, o que dá uns 25 ou 30 minutos da estação de Amboise. Mas você nem sente o caminho, principalmente, se for parando no Château de Amboise, no centro histórico da cidade e no Clos Lucé. Já escrevi sobre o Château Gaillard aqui no site.

Vale do Loire
Uma parte dos jardins do Château

5) Chenonceau – Este castelo é conhecido por ter tido várias proprietárias, ou seja, mulheres.  É também interessante notar que uma das donas era Diane de Poitiers, favorita do rei Henri II. Quando o soberano morre, Catherine de Médicis, a rainha viúva, “toma” o château de volta, oferecendo um outro (vocês vão ver mais embaixo qual é) à rival. É um dos mais bonitos do Vale do Loire e também um dos mais visitados.

Vale do Loire
Entrada do Château de Chenonceau

Ir para o castelo a partir da estação de Chenonceaux (o nome do vilarejo tem um X no final) é muito fácil. A caminhada dura apenas uns três minutos. Aqui no blog tem um texto bem completo sobre o Château de Chenonceau

Château de Chenonceau

6) Azay-le-Rideau – Construído no século XVI, este château é considerado um modelo do Renascimento na França. Seu proprietário foi Gilles Berthelot, um conselheiro do rei Louis XII. Ele destrói uma fortaleza medieval que existia ali e no lugar ergue um castelo de acordo com a moda na época. No século XIX foi realizada a restauração do lugar e a criação do parque e jardim, e, assim, o château toma a forma que vemos hoje.

Château d'Azay-le-Rideau

Para ir da estação até o castelo não é tão perto: são 30 minutos andando, uma parte do tempo ao lado de uma via expressa. Mas não é cansativo, pois o caminho é praticamente plano. Só tem que ficar de olho nos horários do trem na volta.

Vale do Loire

7) Chinon – É uma fortaleza que já pertenceu à Inglaterra, à dinastia dos Plantagenetas. Inclusive foi ali que Henry II Plantageneta morreu. Hoje seu aspecto imponente marca a paisagem da cidadezinha de mesmo nome e faz um belo conjunto.

Vale do Loire
Em várias partes da cidade, dá para ver a fortaleza

O caminho da estação de Chinon até a Forteresse Royale de Chinon dura uns 21 minutos. Mas é um trajeto bem bonitinho, passando pela cidadezinha.

Forteresse de Chinon

8) Chaumont-sur-Loire – Esse foi o castelo que Diane de Poitiers recebeu quando Catherine de Médicis pegou de volta Chenonceau. A propriedade também é marcada por ter tido mulheres como donas, cujas histórias se misturam com a do castelo. Chaumont também é conhecido pelos seus muitos e belos jardins. Aliás, um festival de jardins acontece todos os anos ali de março a novembro e as criações podem ser visitadas por vários meses. Vale a pena.

Château de Chaumont-sur-Loire

Para ir da estação Ozain-Chaumont até o castelo são uns 30 minutos de caminhada. Mas o trajeto é fácil, plano e atravessa o rio Loire. A vista do rio, do pequeno vilarejo e do château é bem bonita.

Vale do Loire
O parque e os jardins do castelo são enormes

9) Langeais – Este também é um castelo que tem arquitetura da Idade Média e do Renascimento. Ele é conhecido por ter sido o palco do casamento do rei Charles VIII e Anne de Bretagne. O interior é bem conservado, as salas e os móveis bem bonitos.

Château de Langeais

A estação de Langeais é bem perto do château: a caminhada dura apenas cinco minutos. E você ainda vê um pouco da cidadezinha, que é uma graça. Para saber mais sobre o lugar, veja o post que fiz sobre o Château de Langeais.

Vale do Loire

Como vocês puderam ver, é fácil ir de trem até estes castelos. Porém, vindo de Paris, dá para visitar no máximo um deles de trem, sem pegar excursão. Exceção para Amboise, que tem três castelos. Então, o que aconselho é passar ao menos uma noite no Vale do Loire e escolher os castelos que quer visitar, planejando muito bem o roteiro. Para dormir, sugiro Tours, Blois ou Amboise. Para planificar o trajeto, você pode acessar o site da OUI.sncf ou baixar o aplicativo da SNCF.

Vale do Loire
Jardim do castelo de Azay-le-Rideau

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real Seguro Viagem
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentários (0)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close