Pontoise

Musée Camille Pissarro – Um pequeno e belo museu em Pontoise, perto de Paris

16 de agosto de 2013

Pontoise é uma cidade a 30 quilômetros a noroeste de Paris, situada no Val d’Oise. Eu a conhecia de nome, pois é um dos pontos finais de linha do RER C, mas nunca tinha ido até lá. E fui parar por acaso e bem no Museu Pissarro. Bom, por acaso é modo de dizer, pois foi uma amiga que me levou. E foi uma descoberta interessante.

Musée Camille Pissarro

O museu é bem pequeno, fica em um palacete do século XIX. É um anexo de um outro museu da cidade, o Tavet-Delacour. Muita gente acredita que o próprio artista viveu ali, mas não é verdade. Camille Pissarro (1830-1903) morou em Pontoise, sim, de 1866 a 1883, mas em outras casas.

Musée Camille Pissarro
Pontoise – vista do museu Pissarro

No lugar onde está instalado o museu havia um antigo castelo real: o château de Pontoise, construído em 1103, pelo futuro rei Luis VI. De arquitetura militar, foi local de férias de vários monarcas e dominava a vista da cidade até sua demolição, em 1742.

Musée Camille Pissarro
Claude Chastillon (1547-1616) – “La ville et le chasteau de Pontoize” (A cidade e o castelo de Pontoise). Fonte: Wikipedia: imagem de domínio público

No mesmo local, no final do século XIX, construíram um típico palacete burguês. Em 1980, para homenagear Pissarro, que completaria 150 anos, foi inaugurado o museu.

Musée Camille Pissarro

Ele ocupa o primeiro andar da construção. Logo na entrada, uma surpresa: o guarda-roupa que pertenceu ao pintor e depois a Lucien, um de seus filhos.

Musée Camille Pissarro

No acervo, há apenas um quadro do mestre: Péniche sur la Seine, de 1864. As outras obras de Pissarro que fazem parte da coleção são as gravuras e desenhos, mas, por serem frágeis, temos que pedir para vê-los. E eu não os vi, pois fiquei sabendo desse detalhe somente depois da minha visita – que, como disse, foi por acaso. Mas o visitante que fizer o pedido antes pode ter acesso a eles (e eu vou voltar lá só para isso).

Musée Camille Pissarro
Camille Pissarro – Péniche sur la Seine, 1864

Musée Camille Pissarro

Há também obras de alguns dos filhos do pintor: Lucien, Georges, Félix e Ludovic. Como, por exemplo, Neige sur la Seine, de Georges, pintada em 1902; ou La Frette, aquarela de Lucien, de 1924.

Musée Camille Pissarro
Georges Manzana- Pissarro – Neige sur la Seine, 1902
Musée Camille Pissarro
Lucien Pissarro – La Frette, 1924

Além de quadros de artistas contemporâneos de Pissarro que retrataram a região, como Charles-François Daubigny, Louis Hayet, Octave Linet, entre outros. É uma viagem na história da arte e ao Vale do Oise do século XIX. Muito bom!

Musée Camille Pissarro
Charles-François Daubigny – Sous-bois à Valmondois

De todos, o que mais me chamou atenção foi Ludovic Piette. Um dos melhores amigos de Pissarro, suas telas retratando cenas do cotidiano de Pontoise são vibrantes, alegres, com uma luminosidade intensa. Ele é o artista com mais obras expostas nesse museu e uma das surpresas do acervo.

Musée Camille Pissarro
Ludovic Piette – Le Marché à la Volaille, Pontoise, 1876
Musée Camille Pissarro
Uma das salas do museu. E outra obra de Piette: Le Marché aux Légumes, Pontoise, 1876

A visita é rápida, dura no máximo meia-hora. Mas pode durar mais, se incluir antes ou depois uma visita ao parque. É um lugar bonito e calmo e que já fazia parte do antigo castelo.

Musée Camille Pissarro

Há um jardim um pouco escondido, em que quase todas as plantas e flores são identificadas, inclusive em braile. Atrás dele e “contornando” o parque, encontramos um belo mirante.

Musée Camille Pissarro

Musée Camille Pissarro

Ali, a vista de Pontoise e do rio Oise é linda, pois o museu fica bem no alto de uma colina. Aí entendemos o motivo pelo qual Pissarro e vários outros pintores retrataram a região.

Musée Camille Pissarro
Pontoise
Musée Camille Pissarro
O rio Oise, que corta a cidade

Gostei muito dessa visita: um lugar calmo, que ainda é desconhecido por muitos turistas. Quem se interessa pelo Impressionismo tenho certeza de que também vai gostar.

Musée Camille Pissarro

Musée Camille Pissarro
17 rue du Château
95300 Pontoise
Horários: de quarta a domingo, das 14h às 18h.
Gratuito

Como ir a Pontoise
Pegar o RER C – direção Pontoise. O trajeto dura cerca de 1 hora.
Ou, na Gare du Nord, pegar o Transilien linha H, direção Pontoise. Duração da viagem: 45 minutos.
Mais informações no site da SNCF/Transilien

Para calcular o itinerário de carro, clique aqui

Musée Camille Pissarro

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

<p>Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.</p>

Comentários (17)

  • Marilda Responder    

    16 de agosto de 2013 at 21:45

    Re, pra que que eu leio seus posts maravilhosos?!! Cada vez é um novo e adorável lugar que eu acrescento à minha (interminável) lista de “lugares para visitar quando voltar a Paris”!! É claro que preciso ir nesse museu de Pissarro!
    Que lindas fotos da vista da cidade!!
    Mais uma vez, Parabéns pelo post e pelas dicas!
    Bjs

    • Renata Inforzato Responder    

      17 de agosto de 2013 at 8:13

      Oi Marilda! Obrigada mesmo por tudo o que escreveu: é um belo incentivo. Bom, você vai ter que se mudar para cá e ser minha vizinha 🙂 Um beijão

  • Gislaine Responder    

    17 de agosto de 2013 at 12:53

    Que achado Renata!! Eu nem imaginava a existência desse museu! Parabéns pela descoberta e obrigada por partilhar conosco essa experiência tão rica!!! Quero conhecê-lo na minha próxima ida!!!

    • Renata Inforzato Responder    

      18 de agosto de 2013 at 20:52

      Oi GI, você vai adorar não só esse, mas toda a região. O Val d’Oise é uma das regiões mais bonitas daqui e é super acolhedora. Obrigada e um beijão

      • Gislaine Responder    

        18 de agosto de 2013 at 22:52

        Mas eu quero ir com você heim??? Vai ter outro sabor!!!

        • Renata Inforzato Responder    

          19 de agosto de 2013 at 8:39

          Oi Gi, pode deixar que nós vamos juntas, sim! Você vai até enjoar da minha companhia 🙂 Um beijão

  • Elaine Braga Responder    

    17 de agosto de 2013 at 22:59

    Bela descoberta , Renata! Tenho que conferir!!!!

  • Monica Toledo Responder    

    18 de agosto de 2013 at 21:07

    Re, mais um lugar lindo que você encontrou e compartilhou conosco, seus leitores. Mais uma cidade pra conhecer. Parabéns pelo texto.

    • Renata Inforzato Responder    

      18 de agosto de 2013 at 21:24

      Oi Monica, Obrigadão! Você iria adorar essa região: ela é especialmente fotogênica, cheia de cidades lindas. Beijão

  • Beatriz Bomfim Responder    

    18 de agosto de 2013 at 22:06

    Renatinha, que charme!! Adorei sua descoberta!!!
    Bjs!

  • Martine Responder    

    19 de agosto de 2013 at 12:37

    Bravo pour cette découverte! Quel papier!!

  • Pelo caminho – A outra casa de Monet… em Argenteuil | Direto de Paris Responder    

    29 de setembro de 2014 at 21:23

    […] Camille, assim como dos amigos. E Monet recebia muitos, quase todos pintores, como Manet, Sisley, Pissarro e Renoir, entre outros. E dessas reuniões nasceu o período mais fértil para o Impressionismo: a […]

  • Direto de Paris - Jornalismo em Paris Responder    

    29 de Maio de 2016 at 15:16

    […] Corot, (1875, 24ª) o precursor do Impressionismo Daubigny (1878, 24ª) e os impressionistas Pissarro (1903, 7ª) e Gustave Caillebotte (1894, 70ª divisão), além de outros nomes famosos da pintura, […]

  • Direto de Paris - Jornalismo em Paris Responder    

    26 de julho de 2017 at 2:52

    […] onde ele morou não estão abertas para visita, mas o antigo castelo da cidade transformou-se em Musée Camille Pissarro, com obras e móveis que pertenceram ao artista, além de pinturas de seu filho Lucien Pissarro. […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close