Atrações

Lycée Henri IV – o liceu mais tradicional de Paris e que podemos visitar

23 de setembro de 2014

O liceu Henri IV é a escola mais tradicional de Paris. Ele fica ali no 5eme, perto da Sorbonne, na parte mais “intelectual” do bairro. Visitá-lo foi um dos meus programas durante as Journées du Patrimoine, mas há visitas durante o ano todo. E se você não sabe se é um bom passeio ou não, esse texto vai te ajudar a decidir.

Lycée Henri IV

A história do lugar é muito, mas muito antiga: começou no século VI. Mais ou menos em 506, Clovis, o primeiro rei da França, teria começado as fundações de uma igreja sobre o túmulo de Sainte Geneviève, padroeira de Paris, na montanha que leva o nome da santa. Porém, o rei morre antes do final da construção e é Clotilde, a rainha, que termina a obra. É a basílica São Pedro e Paulo. Segundo a História, o rei estaria enterrado ali.

Lycée Henri IV

Algum tempo depois, os monges da região constroem a abadia de Sainte-Geneviève e nela se instalam. Nos séculos seguintes, o lugar vai alternar períodos difíceis com outros de grande prosperidade. No século XI, inclusive, Abelardo – famoso por sua história de amor com Heloísa – teria passado um tempo na abadia.

Lycée Henri IV

O século XIII foi bem próspero e prenuncia a vocação do local para a educação: os religiosos de Santo Agostinho mantinham na abadia uma escola e copistas. Possuíam também um posto importante na Sorbonne.

Lycée Henri IV

Em 1624, no reinado de Louis XIII, o cardeal de la Rocheforcauld governa o convento e constrói uma biblioteca que, em quarenta anos, atinge a marca de oito mil volumes. No reinado seguinte, de Louis XIV, a abadia se torna modelo e um lugar de prestígio até no exterior. Além da biblioteca, ela é conhecida por guardar antiguidades, medalhas e moedas, que formavam um verdadeiro “cabinet de curiosités” na moda na época.

Lycée Henri IV

O esplendor da abadia prossegue até a Revolução Francesa: em 1790, ela é declarada propriedade nacional. As salas começaram a servir para reuniões populares e a biblioteca amplia os horários de atendimento ao público.

Lycée Henri IV

Em 1796, as construções foram usadas pelo governo. Uma lei do ano anterior havia criado as écoles centrales (escolas centrais) em toda a França. Três foram abertas em Paris, a primeira delas no lugar onde ficava a abadia. Era a École Centrale du Panthéon. A escolha foi devido ao prestígio do local, de suas instalações e dos objetos guardados ali. Personagens ilustres dão aula na escola, como, por exemplo, Georges Cuvier (paleontólogo francês). Os alunos começam a ser recrutados em função do nível social.

Lycée Henri IV

Com o advento do Primeiro Império, a escola passa a se chamar Lycée Napoléon. Com a criação do liceu, uma importante modificação foi realizada: até 1803, o lugar possuía duas igrejas. Com a construção da rua Clovis e da fachada da escola, somente a igreja Sainte-Etienne-du-Mont ficou em pé. A outra foi destruída, só restando dela a torre que vemos hoje: a Tour Clovis.

Lycée Henri IV

A escola muda de novo com o final do império, passando a se chamar Collège Henri IV. Em 1848, com a chegada de Napoleão III ao poder, o nome Lycée Napoléon é retomado e tem a mesma duração que o Segundo Império: até 1870. Nesse ano, a escola torna-se Lycée Corneille e, em 1873, Lycée Henri IV, que mantém até hoje.

Lycée Henri IV

O que não mudou nesses anos todos foi o prestígio do liceu como um lugar de formação de pessoas de decisão, conduzidas por professores ilustres. Apesar das mudanças e adaptações para transformar a antiga abadia em uma escola, o patrimônio é preservado. A maior parte das construções antigas ainda existe. O aspecto não muda muito do que tinha em 1796. Apenas algumas restaurações foram feitas, como a de 1996. Dois anos depois, em 1998, o liceu é classificado como Monumento Histórico.

Lycée Henri IV

Vou descrever aqui qual foi o percurso que fiz durante a minha visita. Acho que é o percurso comum em todas elas.

Cour du Cloître (Pátio do Claustro) – Fazia parte da abadia e foi restaurado nos anos 2000. Em torno se organizam as construções onde hoje estão a recepção, a administração, a capela e as antigas cozinhas.

Lycée Henri IV

Cour des Externes – Era o antigo pátio de entrada da abadia. Para os alunos é a passagem para as ir às aulas e para a recreação. No meio, há um busto de Ampère.

Lycée Henri IV

Cour du Méridien – No centro há uma Esfera Armilar, representando o universo. É uma homenagem a Guy Pingré, religioso responsável pela abadia durante 50 anos no século XVIII. Apaixonado por astronomia, ele coloca vários relógios de sol pela escola e também instala um observatório em cima da biblioteca.

Lycée Henri IV

Escalier de Prophètes (Escada dos Profetas) – Foi construída por ordem do padre Creil, em 1672. Ela carrega duas simbologias: a passagem do Antigo para o Novo Testamento: os profetas ficam embaixo e no meio da escadaria a Virgem e o Menino Jesus. Também representa a subida para a luz e o saber, já que é preciso subir por ali para ir até as bibliotecas.

Lycée Henri IV
Os profetas
Lycée Henri IV
A escadaria com a Virgem e o Menino ao centro

Le Jardin du Proviseur (Jardim do Reitor) – É o antigo jardim da abadia. Adquire esse nome em 1850. Há vários tipos de árvores, consideradas como raras.

Lycée Henri IV

Salle des Actes (Sala dos Registros) – Situada ao lado da Cour des Externes. Era a antiga capela da Misericórdia (construída em 1190), depois se tornou o lugar onde os alunos da Sorbonne apresentavam suas teses. Durante uma restauração para fazer uma sala de reuniões, foram descobertos vários túmulos, além do antigo piso da capela.

Lycée Henri IV

Eles haviam sido cobertos no começo do século XIX, durante a adaptação da antiga abadia para as aulas. Depois de dois séculos esquecidos, eles voltam a aparecer. Novas escavações arqueológicas estão previstas para o local.

Lycée Henri IV
Um dos túmulos

Tour Clovis (Torre Clovis) – Único vestígio da antiga abadia de Sainte-Geneviève. No primeiro andar, a construção é de estilo Românico (1100). Já o resto é Gótico (fim do século XV). Descartes está enterrado embaixo dela.

Lycée Henri IV

Primeiro Andar
Chapelle – Faz parte do conjunto de construções realizadas no século XIII. Era onde ficava o refeitório dos monges, que, por sua vez, ficava sobre as cozinhas da abadia. No século XIX o cômodo foi transformando em uma capela para o liceu.

Lycée Henri IV

Hall sous la rotonde (Hall sob o pavilhão circular) – Dá acesso a biblioteca, à sala de conferência e a outras várias partes da escola. É também usado para exposições.

Lycée Henri IV

Lycée Henri IV

Salle Julien-Gracq – Foi criada no século XVII a partir do antigo oratório. Quase toda a arquitetura de origem foi conservada, como as abóbodas e os capitéis, por exemplo.

Lycée Henri IV

Lycée Henri IV

Terceiro andar – O segundo andar não se visita, pois ele abriga a intendência, os arquivos e os apartamentos dos alunos. Já o terceiro faz parte do percurso.

Bibliothèque du Lycée – Construída no século XVII e XVIII, possui quatro alas, atendendo aos diferentes níveis da escola. Possui mais de 12 mil livros e uma centena de assinaturas de revistas. Uma das alas, a do Génovéfains (nome dos monges da Abadia Sainte-Geneviève) faz parte da visita. Ela é de estilo Barroco.

Lycée Henri IV

Lycée Henri IV

Rotonde (Pavilhão Circular) – Ocupa o centro das quatro alas da biblioteca. A cúpula é sustentada por pilares em estilo barroco. Há um afresco de Jean Restout, pintado em 1730, que representa o Triunfo de Santo Agostinho, pois os monges da abadia seguiam as regras desse santo. Infelizmente, não pude ver a obra, pois estava em restauração.

Lycée Henri IV

Salle des Médailles – Antigo gabinete de curiosidades (uma sala dos nobres para guardar coleções, muito na moda entre os séculos XVI e XVIII). Depois virou gabinete de medalhas para guardar a coleção do Duque de Orléans. Decorada no estilo Barroco, hoje é usada para vários fins, como sala de aula, sala de reunião do conselho de administração, etc.

Lycée Henri IV

Lycée Henri IV
Detalhe do teto

Escalier des Grands Hommes (Escada dos Grandes Homens) – Restaurada em 2008, levava para a biblioteca. Na época da abadia, era o vestíbulo de entrada. Grades do século XVIII marcavam o local que era exclusivo para o uso dos religiosos.

Lycée Henri IV

O liceu não faz parte do itinerário normal de quem vem a Paris, mas é uma boa sugestão para sair um pouco do comum. Com ele entendemos um pouco mais sobre a história de Paris, já que ele fica num dos primeiros locais da cidade, além de entender melhor como funciona a estrutura educacional aqui. Além de pisar onde estudaram várias personalidades que fizeram a história da França e – por que não? – do mundo.

Lycée Henri IV

Lycée Henri IV
23 rue Clóvis
75005 Paris
Metrô: Cardinal Lemoine – linha 10
Place Monge – linha 7
RER B – Luxembourg
Visitas guiadas de 2h30 aos sábados (uma por mês). O valor é de 5 euros, mas para saber o dia certo, tem que escrever para visites.lycee.h4@gmail.com

Lycée Henri IV

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentários (6)

  • Gislaine Responder    

    26 de setembro de 2014 at 20:34

    Adorei a dica Renata!!! Nunca tinha ouvido falar deste Lycée!! Uma boa opção de passeio para a próxima ida!!!

    • Renata Inforzato Responder    

      28 de setembro de 2014 at 21:19

      Oi Gi. Pelo pouco que conheço de vc, tenho certeza de que vai gostar. Um beijão e obrigada

  • Guta | Blog Vambora! Responder    

    26 de setembro de 2014 at 21:16

    Daqueles segredos de Paris que pouca gente sabe…tambem adorei a dica!

  • Mauricio Responder    

    27 de outubro de 2015 at 16:16

    Boa tarde Renata, parabéns pelas postagens jornalísticas. Sou professor de História e escritor e nesse momento estou escrevendo um romance em que um dos cenários é Paris de 1930/1940. Na descrição sobre suas atividades, a personagem principal menciona ter estudado em uma escola em Paris nesse período. Pode me informar se nesse Liceu estudavam meninas nessa década?
    Obrigado, Mauricio.

    • Renata Inforzato Responder    

      27 de outubro de 2015 at 18:14

      Oi Maurício, o internato para meninas foi liberado só agora em 2010, mas acho que com regime externo já existia há alguns anos. Mas para a década que vc trabalha, melhor perguntar no link q está no texto, que é o site da escola. Um abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close