Puteaux

Já visitou La Défense, o lado futurista de Paris?

14 de abril de 2013

La Défense é um bairro que ainda hoje provoca divisões: há os que o amam e também os que o odeiam. Muitos turistas se negam a conhecê-lo, naquela máxima de “não vi e não gostei”. Mas, esse pedaço de futuro às portas de Paris vale ao menos uma espiada, nem que seja para comprar alguma coisa no shopping que tem lá.

La Défense

A ideia de criar uma área dedicada aos negócios e ao trabalho, de aspecto prático e futurista, começou nos anos 1950. Os Estados Unidos foram a inspiração, e os projetos, nesse começo, se parecem mais com a estrutura de algumas cidades americanas.

La Défense

O local escolhido faz parte dos municípios de Coubervoie, Puteaux e Nanterre, a noroeste de Paris. É uma área de cerca de 160 hectares, que, poucas décadas antes, era repleta de moinhos.

La Défense

O nome La Défense tem origem na importância do lugar: ali já havia uma estátua de bronze em homenagem aos soldados franceses que, mesmo perdendo a guerra, resistiram bravamente às tropas da Prússia, em meados o século XIX, durante o governo – que depôs Napoleão III – chamado de Defesa Nacional. Batizada de La Défense de Paris, a estátua foi incorporada pelo bairro e faz um bonito contraste com a modernidade que reina ali.

La Défense
A obra que inspirou o nome do bairro

A construção começa nos anos 1960, um dos primeiros edifícios a serem construídos foi o CNIT (Centre de Nouvelles Industries e Technologies), com seu telhado de 230 metros de comprimento, uma arquitetura revolucionária para a época. Imensos imóveis e torres propõem não só escritórios, como comércio e moradias.

La Défense
O CNIT – construído a partir de1958

Mas o bairro não tem muito sucesso, nem o cronograma de construções é seguido – de 24 torres previstas, só sete são construídas na primeira década. No começo dos anos 1970, a região tem certo desenvolvimento. Se no início as medidas dos edifícios eram limitadas, agora o único limite seria a criatividade dos arquitetos. E eles ousam mesmo.

La Défense

Mas a crise do petróleo de 1974 viria colocar um freio nos mais otimistas. Os prédios são abandonados ou sublocados e o bairro, que ainda despertava a desconfiança dos parisienses, é cada vez menos procurado pelas empresas.

La Défense

A partir da década de 1980 é que as coisas mudam. A construção do gigantesco centro comercial Quatre Temps, principalmente, torna a região mais viva e não só as empresas como pessoas invadem o bairro. As dimensões dos edifícios tornam-se ainda maiores: uma selva de concreto, aço e vidro, cuja vista chega ainda mais longe. Por muitos anos, La Défense foi sede de várias feiras comerciais, que depois foram transferidas para Porte de Versailles.

La Défense

La Défense tem um nível “superior”, com escritórios, comércios, restaurantes e residências, interligados por uma imensa esplanada. Várias obras de arte, fontes e áreas verdes embelezam o lugar, mas o destaque é o Grande Arco, construído em 1989, e visível a vários quilômetros de distância.

La Défense
Uma parte da Esplanada

Outro nível, subterrâneo, comporta a rede de circulação de automóveis e ferroviária (trens e metrô passam pelo bairro) – e vários estacionamentos.

La Défense
Carros só circulam embaixo da Esplanada

O bairro é sempre renovado: vemos gruas por todos os lados e prédios em manutenção ou sendo construídos, com uma nova estética e respeitando normas de segurança, bem-estar e sustentabilidade. Essa nova fase de construção tem previsão para acabar em 2015.

La Défense
La Défense é a prova de que o verde e o concreto podem viver juntos

Ainda hoje, alguns vêem La Défense como um lugar tentacular, opressor. Outros apreciam seu lado inovador, futurista, gigantesco. Admiram sua capacidade de se reinventar, sem perder sua identidade, misturando concreto e – por que não? – humano.

La Défense

Um fator que não dá para negar é que La Défense é um dos projetos de urbanização mais audaciosos da Europa. Atualmente, quase 200 mil pessoas trabalham no local e cerca de 20 mil moram ali mesmo. E, por mais polêmico que seja, o bairro é visitado por 8,4 milhões de turistas a cada ano. Um número mais do que respeitável.

La Défense

As atrações de La Défense
La Grande Arche de La Défense (O Grande Arco) – Foi inaugurado em 1989, no governo Miterrand, na comemoração dos 200 anos da Revolução Francesa. É a homenagem à República Francesa e um contraponto ao Arco do Triunfo, homenagem de Napoleão I ao Império. O Arco possui cerca de 110 metros de altura. Lá dentro há uma exposição temporária, um museu da informática e outro do Videogame, além de restaurante, mas, atualmente, tanto o acesso a essas áreas e a subida ao topo estão interditados.

La Défense

O mais curioso é que o Grande Arco faz um eixo com alguns dos principais pontos históricos de Paris: o Louvre, o Arco do Triunfo do Caroussel do Louvre, a Place de la Concorde (Praça da Concórdia) e o Arco do Triunfo de Napoleão I.

La Défense

CNIT – Foi inaugurado em 1958, para a Exposição Universal, porém ela foi realizada em Bruxelas. Reformado em 1989, ele abriga lojas, escritórios e um espaço para feiras e convenções. Destaque para suas formas e, como já foi dito, para o telhado de 230 metros.

La Défense
CNIT

Les Quatre Temps – Inaugurado em 1981, é o maior centro comercial da região parisiense. Faz dupla com o CNIT, abrigando as lojas mais conhecidas e populares da Europa, como H &M, Zara, Sephora, entre outras. Horários: de segunda à sábado, das 10h às 20h. Domingos, das 10h às 19h. Cinemas e restaurantes, até às 23 horas. O mesmo vale para o CNIT.

La Défense
Centro comercial Les Quatre Temps

Église Notre-Dame de Pentecôte (Nossa Senhora de Pentecostes) – É uma visita interessante, pois essa igreja, inaugurada em 2001, é dedicada aos trabalhadores. Por isso, é a primeira que só funciona em horário comercial, ou seja, é fechada aos domingos. A arquitetura é bem moderna, algo raro nas igrejas francesas, e, se não repararmos na discreta cruz, passamos direto por ela.

La Défense
Église Notre-Dame de Pentecôte

O vinhedo – La Vigne “Clos de Chantecoq” – Pois é, assim como em Montmartre, encontramos um vinhedo em plena cidade e, aqui podemos dizer, em pleno concreto mesmo. Inaugurado em 2007, tem esse nome Chantecoq por causa da colina onde se situa. Possui cerca de 700 plantas, divididas em 350 pinot noire e 350 chardonnay.

La Défense
Um vinhedo em pleno concreto

É facinho visitá-lo, pois ele fica ao lado da perspectiva que dá para o Arco do Triunfo. Mas é só para ver mesmo, porque o vinho produzido ali não é dos mais baratos, decido à dificuldade de cultivo: o solo possui apenas 1 metro de profundidade.

La Défense
O vinhedo com o Arco do Triunfo ao fundo

A Esplanada de La Défense está recheada de obras de arte, algumas tão diferentes, que, muitas vezes, passamos por elas direto sem percebermos que se trata de arte. Como não dá para citar todas, então, vou falar de algumas delas, as que mais gostei.

La Défense
Point Growth, 1999. Artista: Lim Dong-Lak

La Défense de Paris – A obra que deu origem ao nome do bairro data de 1883 e é de autoria de Louis Ernest Barrias. Em bronze, é uma homenagem aos soldados franceses que defenderam bravamente a cidade na guerra contra a Prússia.

La Défense
La Défense de Paris – 1883. Artista: Louis Ernest Barrias

Les Personnages – Composta por dois personagens, de 12 metros de altura, a obra foi criada por Miró em 1976. Nela encontramos as cores vivas características do artista, assim como suas formas fantasistas, que dão um caráter de “mal definido” às suas obras. Está situada perto de uma das entradas do shopping Quatre Temps e provoca um efeito interessante e bonito ao lugar.

La Défense
Les Personnages – 1976. Artista: Joan Miró

Le Pouce de César – De autoria de César Baldaccini, tem 12 metros de altura e pesa 18 toneladas. Foi inaugurada em 1994 e é uma réplica gigante de uma obra de 40 cm do polegar do artista, que fez enorme sucesso. Fica perto do CNIT.

La Défense
Le Pouce – 1994. Artista: César Baldaccini

Ikaria – Criada em 1987 pelo alemão Igor Mitoraj. Inspirada na lenda de Ícaro, ela expressa a imperfeição da natureza humana, que impede, muitas vezes, o homem de levantar vôo, ou seja, superar seus objetivos.

La Défense
Ikaria – 1987. Artista: Igor Mitoraj
La Défense
Esses “buracos” na obra representam a imperfeição

L’Araignée Rouge (A aranha vermelha) – Inaugurada em 1976, é de autoria do escultor americano Alexander Calder. Feita de aço, é a obra mais visível da esplanada: tem 15 metros de altura e pesa 75 toneladas. Confesso que só fui entender que era uma aranha quando li o nome, porque ela me lembrava mais um grande elefante.

La Défense
L’Araignée Rouge – 1976. Artista: Alexander Calder

Cheminée – É muito interessante o artista francês Raymond Moretti fez com uma chaminé de ventilação, de 32 metros de altura, colorindo-a com cores vibrantes e transformando-a em arte. Foi criada em 1995, utilizando 672 tubos de fibra de vidro, de 2 a 30 centímetros de diâmetro, pintados em 19 cores diferentes. Na minha opinião, é uma das obras mais interessantes de La Défense.

La Défense
Cheminée – 1995. Artista: Raymond Moretti

La Grenouille (Rã) – É uma fonte, apesar de eu nunca tê-la visto em ação. A água sai de uma rã pequena situada na boca da grande. Foi inaugurada em 1987 e é obra do escultor francês Claude Torricini.

La Défense
La Grenouille – 1987. Artista: Claude Torricini

Cheminée Végétale – Outro exemplo de obra de arte nas chaminés que ventilam os subterrâneos da esplanada. Essa foi criada em 2004, por Eduard François, e possui 12 metros de altura. Alia cobre, madeira e centenas de plantas.

La Défense
Cheminée Végétale – 2004. Artista: Eduard François

Para ir a La Défense o melhor meio é de metrô, pois o final da linha 1 é bem ali. Também é possível ir de RER A, estação La Défense. Apesar de ser no mesmo lugar do metrô, a estação do RER é considerada zona 3, enquanto o metrô é zona 2. Então, se não quiser gastar mais, a linha 1 do metrô é a melhor opção, pois o bilhete simples serve para zonas 1 e 2.

La Défense

Se quiser saber mais sobre o bairro e ver fotos lindas, pode comprar o livro La Défense, de Monica Toledo, fotógrafa especializada em Paris. Você pode comprá-lo por email: monica.toledo.moraes@terra.com.br e ele vem autografado.

Na internet, um dos sites mais completos sobre La Défense é da Defacto responsável pela administração do bairro.

Como chegar:
Pegar a linha 1 do metrô, direção La Défense e descer na estação final.
O RER A também vai até La Défense, mas atenção: apesar da estação de RER ficar praticamente na mesma área da estação de metrô, o RER La Défense é considerado zona 3, ou seja, ir de RER é mais caro. Mais informações aqui

La Défense
La Défense também é um lugar para levar as crianças para brincar

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentários (52)

  • Monica Toledo Responder    

    14 de abril de 2013 at 19:16

    Bela matéria de um lugar que realmente aprecio. Lembrando que toda a renda do livro La Défense é revertido para uma instituição que cuida de crianças com câncer. Obrigada.

    • Renata Inforzato Responder    

      14 de abril de 2013 at 20:46

      Verdade, esqueci de divulgar 🙂 Obrigadão, Monica, pela visita. Um beijão

    • marcinha Responder    

      26 de fevereiro de 2014 at 15:12

      gostaria de obter o livro…como faço
      me escreva em
      mcorall@gmail.com
      obrigada

      • Renata Inforzato Responder    

        27 de fevereiro de 2014 at 0:09

        Oi Marcinha, eu coloquei o email da autora no livro no texto. É só mandar uma mensagem que ela te explica. Um abraço e obrigada

  • Helena Responder    

    14 de abril de 2013 at 19:37

    Confesso que sempre tive um pouco curiosidade de visitar esse bairro, mas diante de tantas coisas pra ver e fazer em Paris, nunca priorizei. O teu post deu vontade de conhecer, achei que era um lugar sem muita vida, mas parece que não 🙂

    • Renata Inforzato Responder    

      14 de abril de 2013 at 20:50

      Oi Helena, La Défense é bem interessante, é outra sensação. Nem parece que a gente está em Paris. Se puder ir, vá sim. Obrigada e um beijo

  • Karla Gê Responder    

    14 de abril de 2013 at 21:51

    Oi, Renatinha!
    Vc sabe que desde a última vez que estive em Paris tenho vontade de conhecer La Defénse. Não foi daquela vez, mas da próxima, não escapa!
    Não gosto muito de bairros modernos, sou mais de arquitetura antiga, mas estudei sobre La Defénse quando fazia curso de francês e me interessei em conhecer um bairro tão moderno em uma cidade que conserva tanto o antigo.
    Adorei o post! Vou aproveitar bem mais o bairro depois de lê-lo!
    beijos

    • Renata Inforzato Responder    

      15 de abril de 2013 at 18:19

      Oi Karlinha. Pois é, a gente acabou se desencontrando. Mas dessa vez vc vai sim e vai ver como é bonito a luz ali na Esplanada durante o verão. Um beijão e obrigada

  • Renato Faria Responder    

    14 de abril de 2013 at 22:08

    Excelente matéria, como sempre!

  • Nivea Atallah Responder    

    14 de abril de 2013 at 22:53

    Belo post informativo. Eu mesma morei 4 anos na França e era dessas do “não vi e não gostei” rs. Nunca fui.
    bjs
    Nivea

    • Renata Inforzato Responder    

      15 de abril de 2013 at 18:12

      Oi Nivea, acho que quase todos nós somos. Eu fui conhecer porque acabei indo estudar ali perto em 2011. E hoje adoro. Obrigada! bjs

  • Anita Gomide Responder    

    15 de abril de 2013 at 3:10

    Tambem nao conheço. voce me convenceu!
    Bela matéria!
    bjs

  • Boia Paulista Responder    

    15 de abril de 2013 at 13:15

    Oi, Renata. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem. Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie – Boia

  • sueli aparecida stoco de oliveira Responder    

    18 de abril de 2013 at 13:36

    Achei muito informativo; obrigada. Fiz uma visita, na minha segunda ida a Paris e achei bem interessante. Tirei muitas fotos do local, mas só agora você me proporcionou a oportunidade de conhecer melhor a história desse bairro. Gostei!

  • Leandro Responder    

    8 de julho de 2013 at 16:15

    Olá! ótimo relato! As lojas da Les Quatre Tempes tem bons preços?

    • Renata Inforzato Responder    

      8 de julho de 2013 at 19:18

      Oi Leandro, É como em um shopping do Brasil, ou seja, tem lojas de todos os preços. Obrigada pela visita

  • Marcos da Costa Cam,pista Responder    

    26 de julho de 2013 at 11:41

    Muito bom o seu post. Estive hospedado em La Défense neste mes de julho.
    Nada mais é preciso acrescentar.
    Parabéns.

    • Renata Inforzato Responder    

      26 de julho de 2013 at 18:57

      Oi Marcos, espero que tenha gostado do bairro e do hotel. Obrigada pelo comentário. Um abraço

  • alberto Responder    

    16 de setembro de 2013 at 14:47

    gostei de seus comentarios. sobre la defense.

    gostaria muito de conhecer. vou a paris em novembro proximo e gostaria de ficar no ibis em la defense.mas parece que há varios. qual voce me recomenda que seja proximo do arco do triunfo e que há retaurantes a preços economicos. grato

    • Renata Inforzato Responder    

      16 de setembro de 2013 at 18:15

      Oi Alberto, sendo em La Défense, basta pegar o metrô que logo você está no Arco do Triunfo… Mas acho que o mais próximo é o IBIS LA Défense Centre Hotel. Um abração e obrigada pela visita

  • Ricardo Melo Responder    

    20 de setembro de 2013 at 18:27

    Visitei La Defense em 1998, mais pelo lado emocional e fiquei encantado com o grande arco e nem reparei nestas outras obras citadas aqui. Emocional, pois meu ídolo é o francês Jean Michel Jarre e em 1990, ele realizou o que foi considerado pelo Guiness Book como o maior concerto ao ar livre da história (alias, Jarre já quebrou este recorde 4 vezes).

    Como co-fundador , deixo aqui uma amostra do que foi este lindo concerto de La Defense por Jean Michel Jarre:

    http://www.youtube.com/watch?v=Cqwc43x02Mc

    E o nosso site do fã clube brasileiro do Jarre no Brasil . Eu já me encontrei pessoalmente com ele antes do concerto de Mônaco em 2011.

    http://www.jarrefan.com.br

    • Renata Inforzato Responder    

      20 de setembro de 2013 at 19:23

      Oi Ricardo. Que legal poder conversar pessoalmente com os artistas que a gente admira. Gosto do Jean Michel e o vídeo é bem legal! Obrigada pela visita.

  • Maria Luísa Lôbo Responder    

    20 de setembro de 2013 at 21:01

    Olá,
    Estamos indo para Paris no próximo dia 24/09/2013,vamos nos hospedar no Mercure Paris La Defense 5,pesquisei no mapa e achei muito distante do centro de Paris.Eu e meu marido estamos levando nossa filha de 18 anos,acha a localização adequada pois pretendemos sair a noite para shows e restaurantes,a volta tarde como funciona?A princípio não gostamos da localização,pode nos orientar?
    Grata,
    Luísa

    • Renata Inforzato Responder    

      21 de setembro de 2013 at 11:33

      OI Maria Luísa. Bom, La Défense, me metrô, é distante uns 20 minutos do centro de Paris. Aí você tem que contar o tempo para andar até o hotel. Em geral, é um bairro de negócios, ou seja, um pouco deserto à noite. Mas é um região considerada “boa”, de classe média alta. E Paris é uma cidade pouco violenta (em comparação com o Brasil). Há os batedores de carteira, mas é só não andar com bolsa aberta ou carteira no bolso traseiro da calça. Obrigada pela visita.

  • Beatriz Bomfim Responder    

    14 de outubro de 2013 at 19:52

    Renatinha, vamos conhecer La Défense amanhã!!!! Beijos!!!!!!!

    • Renata Inforzato Responder    

      24 de outubro de 2013 at 19:33

      Oi Bia, obrigada pela visita e companhia no meu aniversário. Espero que tenha gostado de La Défense. Um beijão

  • Ana Paula Dutra Guarneri Responder    

    8 de janeiro de 2014 at 20:08

    Olá Renata, parabéns pela matéria, fiquei muito feliz em conhecer com detalhes o bairro de la defense. Estive em Paris no ano passado e fiquei hospedada no bairro, gostei tanto que estou indo novamente para Paris priorizando o bairro de la defense que é lindo. Bjssss

    • Renata Inforzato Responder    

      8 de janeiro de 2014 at 23:52

      Oi Ana Paula
      Que legal que você gostou de lá! Espero que a próxima viagem seja ainda melhor. Obrigadão

  • Elaine Braga Responder    

    17 de março de 2014 at 10:49

    Excelente matéria!!!!!! Merci!

  • Carmem Responder    

    8 de agosto de 2014 at 2:17

    Oi Renata, td bem? A primeira vez que fui a Paris só conheci alguns pontos turísticos, e nem ouvi falar de Lá Defense, só fui descobri-la através da internet no meu retorno. Vou pra Paris em 25/09/14, vou ficar 20 dias e desta vez quero muito conhecer. Lembro que vi em um site que era possível ir de metro, gostaria de saber como chegar e como faço para usufruir das bicicletas públicas , onde e como me cadastrar ?
    Obrigada

  • Vapiano – Rede alemã de comida italiana em Paris | Direto de Paris Responder    

    24 de agosto de 2014 at 22:09

    […] presente em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Já a unidade parisiense está no bairro de La Défense. Ou seja, cadeia alemã de comida italiana. Muito […]

  • Village de Noël de La Défense – um mercado de natal no meio dos arranha-céus | Direto de Paris Responder    

    19 de dezembro de 2014 at 19:56

    […] ano o Village de Noël de La Défense faz 20 anos e conta com 300 quiosques. Como La Défense é um bairro moderno, cheio de prédios de arquitetura futurista e obras de arte contemporâneas, […]

  • Francine Responder    

    21 de janeiro de 2015 at 11:16

    Olá! Estive em Paris várias vezes, mas a última foi em 2000. Este ano, minha filha completa 15 anos e vou levá-la à Europa. Como já naquela época, La Defense me impressionou, fui em busca de saber como está agora o bairro. E sinceramente: seu post foi o melhor post que já li sobre o assunto. Ou mais! O post mais interessante sob um local de visitação. Vou continuar passeando pelo blog em busca de mais e mais informações assim. Obrigada mesmo pela atenção na escrita deste post. Francine

    • Renata Inforzato Responder    

      22 de janeiro de 2015 at 0:05

      Oi Francine, obrigadão mesmo! Dá um super ânimo ler comentários como o seu, dá mais força pra continuar. Espero que vc e sua filha tenham uma ótima viagem. Um beijo

  • Francine Responder    

    21 de janeiro de 2015 at 11:19

    Rá! Explicado os pormenores do post “vim para cá para aprender francês e também me especializar em Jornalismo e História”.

    🙂 Obrigada, Renata,
    Francine

    • Renata Inforzato Responder    

      22 de janeiro de 2015 at 0:06

      Acertou, Francine, srsrsrs. Me formei em jornalismo no BR e agora estou em História da Arte, que termino em junho, se tudo der certo 🙂 Um beijão

  • Francine Responder    

    21 de janeiro de 2015 at 11:47

    Tudo lindo, estou adorando seus posts.
    Voltei a este, pra dar uma sugestão: Sacre Coeur. Quando puder, nos dê a história desse lugar maravilhoso! Quando penso em Paris e nos momentos que vivi por lá, lembro da imagem da Sacre Coeur aparecendo ao fundo da rua.. coisa linda !

    • Renata Inforzato Responder    

      22 de janeiro de 2015 at 0:08

      Estou doida para falar dessa igreja, mas quero tirar fotos e lá não pode. Então, a parte mais difícil está sendo obter autorização para as fotografias (todas as fotos do blog são minhas e faço questão disso). Um beijão

      • Francine Responder    

        22 de janeiro de 2015 at 10:55

        Percebi mesmo o capricho!
        História da Arte é um assunto interessantíssimo, não é?
        Meu caçula é apaixonado por Arte e dou o maior incentivo. Já minha filha é meio desligada de tudo (rsrsrs) e vou aproveitar essa viagem pra apresentá-la tanto história quanto arte. Como vamos só nós duas, vou poder dedicar o tempo a isso. 🙂
        Iremos também à Itália e à Grécia. Pretendo ver muita coisa!
        Boa sorte com a especialização! E principalmente boa sorte com o depois. Desejo que tudo dê certo. Competente e caprichosa você, definitivamente, já pude ver que é.
        Beijo,
        Francine

        • Renata Inforzato Responder    

          22 de janeiro de 2015 at 22:30

          Oi, Francine, obrigadão! Tenho certeza de sua filha vai amar a viagem e começar a se interessar por arte e história. Não tem como vendo tanta coisa linda. É uma viagem de sonhos essa sua. Olha, desejo que tudo corra maravilhosamente bem e que vcs se divirtam muito. Espero poder te ajudar muito ainda com os textos. E, se quiser e puder, venha nos contar sobre a viagem. Um beijão

  • Pharmacie du RER - farmácia barata em La Défense - Direto de ParisDireto de Paris Responder    

    3 de fevereiro de 2016 at 14:22

    […] Há atendentes falam também inglês, espanhol e português. E como é em La Défense que fica o Les Quatre Temps, um dos maiores shoppings centers da região parisiense, você pode aproveitar o dia da farmácia, para fazer as outras compras. Fora que vai visitar um dos bairros mais modernos de Paris. Olha o post que já escrevi sobre La Défense. […]

  • alexandre Responder    

    1 de abril de 2016 at 20:47

    Olá Renata, tudo bem? Você saberia me informar como ir do Louvre ao La Defense( onde devo ficar hospedado) ? Se eu sair do Louvre às 22:00 consigo pegar algum metrô ou seria melhor ir de táxi, devido ao horário? E quanto ficaria uma corrida de táxi? Obrigado e abraços, Alexandre.

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      6 de abril de 2016 at 20:06

      Oi Alexandre, a corrida de táxi depende do trânsito e em Paris é difícil prever. 22 horas é tranquilo para pegar o metrô. Acesse o site http://www.ratp.fr e coloque ali o Louvre (estação Palais Royal/Musée du Louvre) e o endereço do hotel que ele vai te mostrar como chegar ao hotel.

  • Direto de Paris - Jornalismo em Paris Responder    

    12 de julho de 2016 at 20:14

    […] 9). Mas, se você quiser ver apenas o desfile aéreo, pode ir a outros lugares, como, por exemplo, La Défense. Ano passado eu fiquei ali para ver os aviões e foi bem […]

  • Maria JUvenilde Responder    

    19 de maio de 2017 at 14:45

    Oi Renata,
    Eu gostei bastante, irei em junho 20/06 à 27/06 … acho que tirarei um dia pra conhecer.
    Fiquei com uma dúvida, se eu tiver com o cartão Navigo, posso usar tanto no metrô quanto no RER?

    Obrigada!
    Ju

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close