Dicas gerais

De busão pela Europa

6 de agosto de 2014

Quando se fala em viajar pela Europa, na maioria das vezes pensamos em viagens de trem ou de avião, por serem mais práticas e rápidas. Mas dá para viajar de ônibus entre as cidades e países europeus (até para o Marrocos). Em alguns trechos até compensa pela diferença de preço, pois não mudam tanto (ou nada) às vésperas da data escolhida. Há várias empresas que fazem os percursos. Eu já viajei com duas delas: a Eurolines e a IDBUS. Neste texto conto como foi a minha experiência com a Eurolines.

busão

O trajeto escolhido foi Paris/Bruxelas, no último outono. Fui, então, procurar as passagens. Na verdade, você pode comprar o bilhete pela internet. Mas resolvi comprar pessoalmente, no ponto de venda mais perto da minha casa: um guichê que fica na estação Gallieni, linha 3 do metrô parisiense.

busão

A bilheteria da empresa não é difícil de encontrar. Ao sair da catraca do metrô, é só pegar a saída onde está escrito Eurolines. Saindo do metrô, você está praticamente dentro do “terminal” da empresa. Na verdade, aí vem a primeira surpresa: não é bem um terminal. É um espaço com alguns guichês e uma salinha de espera, bem simples. Havia uma fila para comprar bilhetes. A espera demorou um pouco, mas a compra em si é rápida. E o preço vale a pena: paguei 57 euros ida e volta de Paris para Bruxelas. Comprei com pouca antecedência, 15 dias, mas o preço não varia muito se você comprar de última hora. Só corre o risco de não haver lugar nos ônibus.

busão
A empresa em Bruxelas

O atendente me recomendou chegar uma hora mais cedo para fazer o check-in. Por coincidência, a partida também era na estação Gallieni (onde comprei o bilhete). Mas, como pontual que sou, cheguei com apenas meia hora de antecedência. Mas não houve problemas, pois a passagem pelo guichê é muito rápida. Deram-me os bilhetes, a etiqueta da bagagem (é permitido até duas bagagens) e um cartão com o número da plataforma de onde o ônibus saía. Esse cartão foi uma parte um pouco confusa, pois no painel estava escrito que meu ônibus sairia da plataforma M e no cartão havia apenas o número seis. Subi as escadas rolantes e lá estavam os ônibus.

busão
O terminal na estação Gallieni, em Paris

Nisso faltavam 15 minutos para partir. Era difícil saber quais os veículos que chegavam ou partiam. Aí olhei para cima e …eis que vejo os números das plataformas. Dirigi-me para a de número 6 e o pessoal já estava embarcando. Havia três brasileiros, que fiz amizade ali mesmo: Carol, Lilian e seu filho, Beto, todos de Belo Horizonte. O motorista, Antonio, era espanhol e não falava nada de francês. Em compensação arriscava muito bem o portunhol.

busão
O Antonio

Embarcamos: o clima era festivo. Além de nós, havia muitos jovens mochileiros que pareciam ser ingleses, pelo sotaque. Como não há lugares marcados, fui parar no fundo do ônibus, no corredor. Por sorte, Antonio veio até mim e disse que os quatro primeiros lugares estavam vagos. Não pensei duas vezes e nem os brasileiros, pois quando cheguei ali, eles ocupavam os outros três lugares.

busão
Além da vista da janela, tinha essa da frente também. Fiquei no primeiro banco

A viagem é tranquila. O motorista não corre demais, às vezes até achava que ele poderia correr mais um pouquinho. O clima mais parecia de uma excursão: Antonio conversou conosco todo o tempo, falando alto e rindo. As pessoas que estavam no fundo, ao invés de ficarem bravas, participaram também e até ligaram o rádio. A estrada é muito bem conservada e a paisagem é uma mistura de plantações e vilarejos sem fim. Vi várias torres de igrejas e minha vontade era descer para visitá-las.

busão
Não dava para fotografar direito, mas é um vilarejo

Logo após passarmos a fronteira entre a França e a Bélgica, mais ou menos a 80 quilômetros de Bruxelas, o ônibus faz uma parada. É um típico posto moderno de beira de estrada, com banheiro, loja de lembrancinhas e lanchonete. Os lanches são prontos e há uma infinidade de croissants, sanduíches, pain au chocolat (massa tipo croissant com gotas de chocolate), enfim, uma lanchonete como as que nós encontramos nas estradas do Brasil. Só que em vez de pão de queijo e espetinho, tem sanduíche de queijo e salada na baguete.

busão

Dali em diante, a viagem voa. A estrada continua quase igual, nem parece que entramos em outro país. Ao chegar a Bruxelas, a caminho dos terminais, Antonio nos faz um agrado: passamos em alguns pontos turísticos da cidade. Depois, o ônibus faz duas paradas: primeiro na estação Bruxelles-Midi e depois na Bruxelles-Nord. É importante saber onde vai descer. Na verdade, elas são estações de trem e metrô. O ônibus para mesmo numa rua lateral, pois não há plataformas. Desci na Bruxelles-Nord, era quase 13h30, me despedi dos meus novos amigos brasileiros e de Antonio, que estava com pressa, pois o ônibus ainda iria para Amsterdã.

busão
Arco do Triunfo ou Arcadas do Cinquentenário (Les Arcades du Cinquantenaire), em Bruxelas

Vantagens e desvantagens de uma viagem de ônibus

1) Viajar de ônibus é bem mais barato. O preço do bilhete ida e volta foi 57 euros, pouco mais da metade do bilhete de trem para o mesmo trajeto e na mesma época. Pode-se encontrar passagens de trem pelo mesmo preço, mas tem que comprar com antecedência, diferentemente da viagem de ônibus.

2) Você pode fazer a compra dos bilhetes pela internet, basta imprimir depois. Por segurança, tenha com você o cartão que usou na compra na hora de fazer o check-in.

3) Assim como no caso do trem, também há promoções e você pode até reservar hotel, passeios e outras diversões.

busão
Bruxelas

4) Também há passes para duas capitais e aqueles que possibilitam várias viagens em um certo período de tempo: como o Pass Eurolines 15 jours ou 30 jours (15 ou 30 dias, respectivamente), onde você pode viajar por até 50 cidades da Europa por um preço fixo, que varia segundo a estação do ano.

5) Mas, importante: se você comprou ida e volta e já usou a ida, não pode perder o horário da volta, senão tem que comprar outra passagem para voltar. Nesse caso, não dá para trocar e nem pedir reembolso.

6) Não espere conforto. Ele é mínimo. Para viagens curtas, não há problemas. Porém, se você resolver encarar o trajeto Paris – Sarajevo, com 27 horas de estrada, aí fica complicado. A partir de trajetos médios, acima de 600 km, o melhor é o trem ou o avião. Mas, se você não tem pressa e vai fazer viagens curtas, como Paris – Amsterdã, com 514 km, pegue o ônibus sem medo. Afinal, é sempre gostoso cortar as estradas de um país.

busão
Palais Royal, Bruxelas

A Eurolines foi criada em 1985 e possui em torno de 140 linhas, que ligam 600 destinos. Aqui na França, as saídas ocorrem em 92 cidades e as maiores possuem mais de um local de partida. Em Paris são quatro. Eles também oferecem pacotes completos, com hotéis e tudo o mais, mas preferi comprar só as passagens. Para acessar o site da empresa em português, clique aqui

busão
Bruxelas

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentários (29)

  • Anita Responder    

    6 de agosto de 2014 at 22:31

    Tambem usei a Eurolines, indo de Paris a Amsterdam. Como foi a noite, não deu pra curtir a paisagem. Achei a viagem confortavel, os bancos deitavam bastante (acho que estavam meio quebrados…rs). O interessante que se chega a Amsterdam bem cedinho,numa estação que não havia ninguém nem nada aberto! Mas logo apareceu um táxi que nos levou ao centro. Tomamos café da manhã, e passamos a explorar a cidade. Retornamos a noite para Paris, chegando bem cedo na manhã seguinte. Gostei da viagem.

    • Renata Inforzato Responder    

      7 de agosto de 2014 at 17:28

      Oi Anita, obrigada por ter contado aqui sua experiência… Beijos

      • ryan Responder    

        22 de maio de 2015 at 5:58

        Olá, nessa estação que o onibos chega em Amsterdam há metro para o centro da cidade?

        • Renata Inforzato Responder    

          22 de maio de 2015 at 16:41

          Oi Ryan, eu não fui pra Amsterdam, fui para Bruxelas. Consulte no site da Eurolines em qual lugar ele para em Amsterdam. Um abraço

  • Luciana Rodrigues - Turismo em Roma Responder    

    7 de agosto de 2014 at 21:37

    Eu fiz trajetos curtos: Londres-Brighton pagando 2 esterlinas! O trem custava quase 10!

    • Renata Inforzato Responder    

      8 de agosto de 2014 at 9:15

      Nossa, Lu, muito barato! Quero viajar com a Megabus pra ver como é. Acho que é a única que falta pra mim. Beijos e obrigada pela visita

  • MICHELE CAVALCANTE Responder    

    8 de agosto de 2014 at 16:33

    Ola!! Gostei muito de suas postagens!
    Estou esperando uma seleção para estudar em Portugal e quero muito aproveitar o tempo livre que tiver e ir conhecer Paris, Roma….
    Espero, poder voltar a postagem pedindo dicas sobre passeios!
    Moro em Fortaleza – Ceara – Brasil!!!
    Um abraço

    • Renata Inforzato Responder    

      8 de agosto de 2014 at 17:09

      Oi Michele, obrigadão! Vou torcer por vc. Dando tudo certo, volta aqui pra contar pra gente. Um beijo

  • Jr Caimi Responder    

    8 de agosto de 2014 at 20:25

    Oi Renata…

    gostei muito do post e das dicas de viajar de ônibus, é uma das minhas opções para uma viagem em 2015 e seu post ajudou entender como funciona esse tipo de viagem… 🙂

    • Renata Inforzato Responder    

      8 de agosto de 2014 at 22:58

      Oi Jr! Gosto de viajar de ônibus e é uma ótima alternativa pra economizar. Acho que é interessante ter essa experiência mesmo que for pra dizer q não gostou. Precisando, estou aqui. Obrigada pela visita

  • Liliane Inglez Responder    

    10 de agosto de 2014 at 1:05

    Renata, muito bom e esclarecedor!!! Ano passado, compramos uma passagem de Munique a Praga e pensávamos que seria de trem (a passagem era escrita em alemão, né?? rsrs). Quando fomos pegar o trem, descobrimos que era ônibus! Mas também foi super tranquilo e gostamos da experiência! Um abraço!!!

    • Renata Inforzato Responder    

      11 de agosto de 2014 at 19:55

      Oi Liliane!!! Passagem em alemão é complicado, rsrs. Mas que bom que deu tudo certo. Obrigada por compartilhar sua experiência aqui no blog. Um abração

  • Viajadas da Semana #4 | Viajadas Responder    

    10 de agosto de 2014 at 17:34

    […] De busão pela Europa (Direto de […]

  • Gislaine Responder    

    12 de agosto de 2014 at 3:33

    Parabéns pelas dicas Re!! Quando se fala em viagens assim, logo pensamos em trem ou mesmo avião, talvez por desconhecimento, mas o seu texto foi claro e com certeza, ajudará bastante quem decidir pela viagem de ônibus!

    • Renata Inforzato Responder    

      12 de agosto de 2014 at 12:29

      Oi Gi, obrigadão pela visita. É gostoso viajar de ônibus, principalmente se a distância for curta e vc tiver tempo. Um beijão

  • Gabriela Responder    

    13 de agosto de 2014 at 0:18

    Oi Renata, muito bom o seu post, super importante pra mim! Vou em novembro e queria fazer Paris-Amsterdam, você pode me dizer de onde sai o ônibus em Paris? Vou estar perto da Gare du Nord, será que vai ser difícil chegar no ponto do ônibus? Obrigada!! Bjs!

  • Nathalia Responder    

    13 de outubro de 2014 at 1:52

    Em Dezembro farei o trajeto Paris/Munique… e o preço da Euroline está bem atrativo… são 11 horas de viagem. Alguém já fez esse trajeto? Será que vale a pena? Obrigada

    • Renata Inforzato Responder    

      15 de outubro de 2014 at 11:15

      Oi Nathalia. Eu não fiz, então, não posso te responder. Se você tem tempo pra viajar e está com o orçamento apertado, pode tentar. Um abraço

  • Samara Santana Responder    

    19 de fevereiro de 2015 at 19:28

    Olá! Estamos com todo o transporte comprado em nossa viagem, exceto o trcho Bruxelas – Paris… Iremos em Março e a passagem de trem somente de ida custa 45 euros. Meu noivo sugeriu ônibus, que custa 19euros! Você sabe se há limite de peso para as bagagens? Outra coisa, entrei no site da Megabus.com e achei barato até demais: 12 euros, será que é confiável?

    Obrigada!

    • Renata Inforzato Responder    

      19 de fevereiro de 2015 at 21:44

      Oi Samara. Na Eurolines não tem, mas sempre é bom ter bom senso para não exagerar. Porém, vale ler as regras de cada empresa. Eu nunca viajei com a Megabus, mas tenho amigos que viajaram e gostaram. Vale tentar, pois não é muito tempo de viagem. Bjs

  • JANE CEILAN DE ARAUJO Responder    

    27 de fevereiro de 2015 at 20:10

    Ola,
    Estou indo de Amsterda para Paris de onibus pela megabus. Sabe me dizer onde fica o ponto de saida dessa linha de onibus, achei meio estranha a localização que fiz no maps.

    • Renata Inforzato Responder    

      27 de fevereiro de 2015 at 21:19

      Oi Jane! Eu não viajei com a Megabus, então não sei te dizer. Eu fui com a Eurolines e cada empresa sai e chega em um lugar diferente.

    • Alice Responder    

      28 de abril de 2015 at 2:39

      Oi Jane,

      Pode me dizer como foi sua viagem pelo megabus?
      Obrigada!

  • Eme Responder    

    16 de abril de 2016 at 11:09

    Importantes informações, Renata. Como sempre, bom texto e belas fotos. Eu também viajei, há um ano, pela Eurolines, de Amsterdam a Londres e tive a mesma impressão. Comprei os bilhetes pela internet, bem antes de sair do Brasil. Devemos pesquisar bem onde são as paradas (sempre perto de transportes urbanos), uma vez que elas podem não ser tão visíveis, mas pelo Google dá para saber onde elas se localizam. Viajei também pela Megabus de Paris a Bruxelas. Salvo pequeno atraso na saída, meia hora, tudo correu bem. Sempre que tiver tempo procurarei repetir a experiência de conhecer a geografia, ver passar os campos e lugarejos, quando as distâncias não forem muito longas, conforme você comentou.

  • Fernanda - Blog Tá indo pra onde? Responder    

    7 de fevereiro de 2017 at 15:27

    Quando fui pra Alemanha fiz alguns trajetos de ônibus, mas em geral, preferia fazer td de trem porque os horários dos trens eram infinitamente melhores!! rs Ainda mais quando se trata de bate-volta,os trens saiam mais cedo e voltavam mais tarde e indo de ônibus muitas vezes o passeio seria prejudicado. Mas quando utilizei ônibus eles eram ótimos (e mais baratos)!

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      9 de julho de 2017 at 0:40

      Oi Fer, sim, eu também prefiro trem por estas razões. Mas, em curtas distâncias e querendo economizar, o ônibus vale a pena. Um beijo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close