Atrações

Conheça o Palais du Luxembourg, onde fica o Senado francês

11 de junho de 2012

Situado ao lado do Jardin du Luxembourg (ou Jardim de Luxemburgo), o Palais du Luxembourg impressiona por sua beleza, em perfeita harmonia com o ambiente. Ficamos maravilhados com a riqueza da sua decoração, seus afrescos, seus quadros e suas esculturas. Sede do Senado francês, sua história é bem mais antiga e começa há exatos 400 anos, lá no século XVII.

Palais du Luxembourg

Um capricho real

Tudo começa quando Maria de Médicis, rainha-regente e viúva de Henrique IV, diz não suportar mais viver no palácio do Louvre. A proximidade com o Sena, então depósito de todo lixo e dejetos existentes, fazia com que os odores no velho palácio fossem insuportáveis. Além disso, a rainha queria há muito tempo construir um palácio em estilo italiano, como o Palácio Pitti, em Florença, sua terra natal.

Palais du Luxembourg

Duas grandes questões intrigavam, então, a rainha e sua corte: mudar para onde? E qual lugar seria digno de acolher uma moradora tão ilustre?

Palais du Luxembourg

Em meados de abril de 1612, Maria de Médicis tomou conhecimento de uma construção elegante do século XVI, um hôtel particulier (um pequeno palácio urbano), que pertencia a François de Luxembourg, duque de Piney. Praticamente na mesma hora, ela viu ali o lugar perfeito para se mudar. Então, ela compra a propriedade e outros terrenos vizinhos, pois só o hôtel não tinha tamanho suficiente para comportar uma regente como moradora.

Palais du Luxembourg

Os trabalhos começam em 1615 e são confiados ao arquiteto Salomon de Brosse. A propriedade original é preservada, mas as casas dos terrenos vizinhos são demolidas para que seja construído o palácio da rainha. O nome do antigo proprietário continua ligado ao lugar. O hôtel onde morava o duque passa a ser chamado de Petit Luxembourg para se diferenciar do palácio real vizinho, conhecido como Palais du Luxembourg (Palácio de Luxemburgo) ou Grand Luxembourg.

Palais du Luxembourg
O Palácio visto do Jardim de Luxemburgo

Maria de Médicis se muda em 1625, mas as construções só acabam em 1631. No Petit Luxembourg ela instala o Cardeal de Richelieu, que era seu homem de confiança.

As agitações da Revolução

Depois tanto o Petit quanto o Palais du Luxembourg vão passar de mão em mão. Vários proprietários, todos nobres, ali vivem, inclusive o Conde de Provence, irmão de Luis XVI e futuro Luis XVIII.

Palais du Luxembourg

Logo após a Revolução Francesa, o palácio é temporariamente transformado em prisão. Depois, em 1795, passa a abrigar as sessões do Diretório, ou seja, do governo, enquanto o Petit Luxembourg passa a ser a residência de seus diretores.

Palais du Luxembourg
Presentes que o Senado francês recebe

A partir de então, a vocação “governamental’ do Palais de Luxembourg nunca mais será abandonada. Napoleão Bonaparte decide criar o Senado Conservador, uma assembleia composta por 80 senadores com idade mínima de 40 anos. Eles instalam sua sede no palácio a partir de 1804 e o presidente faz do Petit Luxembourg sua residência.

Palais du Luxembourg
Interior do Petit Luxembourg

Com o passar dos anos, a assembleia muda de nome: Chambre des Pairs (uma espécie de Câmara dos Lordes) e, depois, Senado. Hoje, o Senado conta com 343 membros e seu presidente continua morando no Petit Luxembourg.

Palais du Luxembourg
Outra visão do Palácio a partir do Jardim de Luxemburgo

O Palais du Luxembourg tem várias áreas interessantes para serem visitadas. Algumas delas são:

A biblioteca e seu anexo

É reservada aos parlamentares e seus colaboradores e possui mais de 400 mil obras, a maioria especializada em Direito e Economia.

Palais du Luxembourg

Palais du Luxembourg
Cúpula da biblioteca pintada por Delacroix em 1845 – Dante é recebido no inferno por Homero, Horácio e Ovídio

Já seu anexo é situado na parte leste do palácio e abriga mais de 70 obras e uma parte da documentação do Senado. Em 1750 ali foi instalado o primeiro museu público dedicado à pintura, fechado algumas décadas depois.

Palais du Luxembourg

Durante o Senado Conservador, este museu abre novamente para expor as telas de Rubens, que pertenciam ao duque de Provence (Louis XVIII), que havia morado no local. De 1816 até 1887 (quando é criado o Museu de Luxembourg), no anexo da biblioteca também eram expostos quadros de artistas contemporâneos.

Palais du Luxembourg

O Hémicycle ou Semicírculo

É o lugar onde acontecem os debates do Senado, o coração da chamada Haute Assemblée (Alta Assembleia). A sua construção veio da necessidade de um espaço maior para acolher os senadores. A antiga sala, situada onde hoje fica a de Conferências, e construída para os 80 membros do Senado Conservador, logo ficou pequena. Então, o arquiteto Alphonse de Gisors começa, em 1836, os trabalhos para construção do Hémicycle.

Palais du Luxembourg

A sala das sessões do Senado é composta por dois semicírculos: um grande, onde ficam os senadores, e um menor, em frente, que abriga a tribuna do orador e o lugar onde fica o presidente da sessão.

Palais du Luxembourg
O semicírculo menor e as esculturas

A Sala de Conferências

Ela é dividida em duas partes: Leste e Oeste. A primeira, a Leste, acolheu, em 1919, o presidente americano Wilson para o banquete da conferência de paz. Ela possui o estilo do Segundo Império (Napoleão III) e abriga a mesa de imprensa, onde os senadores podem consultar os jornais do dia.

Palais du Luxembourg

A parte Oeste é o lugar de encontro dos senadores com membros do governo ou jornalistas. Ao longo de sua história sofreu diversos arranjos, chegando a ser, durante o reino de Napoleão III, um salão de festas.

Palais du Luxembourg

Sala Victor Hugo

É a sala onde os senadores escrevem ou recebem as visitas tranquilamente. Em sua origem, era chamada Sala Napoleão III, mas foi batizada de Victor Hugo em 1889, em homenagem ao escritor que também foi senador. É ali que está o trono que Napoleão Bonaparte (Napoleão I) usava para presidir as sessões do Senado Conservador.

Palais du Luxembourg

Palais du Luxembourg

Galeria dos Bustos

Decorada por pilastras brancas e douradas, é onde estão reunidos os bustos de antigos senadores e políticos do século XIX. Ela liga a Sala de Conferências ao Hémicycle. É por ali que passa o Presidente do Senado para a abertura solene da primeira sessão do dia.

Palais du Luxembourg

É possível visitar o Palais du Luxembourg. Visitas em grupo: são organizadas às segundas, sextas e sábados (exceto nos dias em que há sessões do Senado) para grupos de, no máximo, 40 pessoas. Para reservar, é preciso entrar em contato com um dos senadores para obter uma permissão, o que não é difícil. Veja a lista deles aqui
Visitas individuais: são organizadas pelo Centre des Monuments Nationaux, um sábado por mês, às 10h30 e às 14h30. Você pode reservar pelo telefone 01.44.54.19.30 ou por email: visites-conferences@monuments-nationaux.fr. Mas, por causa dos atentados, as visitas individuais estão suspensas. Minha sugestão é que vocês se organizem, mesmo que seja em grupos pequenos, e façam o procedimento que descrevi acima para as visitas em grupos.

Palais du Luxembourg:
15, rue de Vaugirard
Metrô Odéon, linhas 4 e 10
RER B: Luxembourg
Mais informações

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentários (16)

  • Anita Gomide Responder    

    12 de junho de 2012 at 11:28

    Nã o tinha a menor noção de que poderia ser visitado! Nunca observei qq placa ou indicativo nesse sentido.
    O palácio é realmente muito bonito, e deve ser uma visita agradável, porque depois tem os jardins pra uma descansadinha e um lanche!
    Adorei a indicação!

    • Renata Inforzato Responder    

      13 de junho de 2012 at 17:37

      Oi Anita,

      Obrigadão! Então, no Palácio não tem placa nenhuma de visita. Vc só fica sabendo pelo site e pelos telefones e email que estão no texto…

  • Milena F. Responder    

    13 de junho de 2012 at 9:37

    Adoros os jardins e já fui ao museu do Luxembourg, mas nunca visitei o Senado mesmo! Excelente idéia! Pena que os horários parecem um pouco limitados, e sempre com reserva! Mas pelo jeito vale a pena!

    • Renata Inforzato Responder    

      13 de junho de 2012 at 17:35

      OI Milena

      Então, é com reserva e é visite guidée. Visitar livremente o Senado, sem ter guia junto, só na Journée du Patrimoine. Mas, mesmo com um pouco de fila na Journée, vale a pena sim…

  • Wilian Bonete Responder    

    19 de setembro de 2012 at 23:23

    Olá Renata,
    enviei um e-mail para tentar agendar uma visita entre 29/10 e 03/11, mas eles não me retornaram. Será que estou fazendo algo errado?

    A proposito, pelas suas fotos parece um lugar maravilhoso, eu e minha noiva estamos na expectativa!!

    Abs.

  • walter Responder    

    17 de outubro de 2012 at 12:49

    Oi Renata.

    Conversando com sua mãe, hj de manhã, bateu uma saudade.

    Passeei pelo seu blog, é lindo.

    Fico feliz em saber que vc está muito bem, fazendo o que gosta e quer.

    Que Deus continue te abençoando.

    Quando Vier passear por aqui, visite-nos.

    Abraços
    Walter/Marcia

    • Renata Inforzato Responder    

      17 de outubro de 2012 at 22:34

      Oi Walter

      Que saudade!!!!! Obrigada pelo elogio e incentivo. Também desejo tudo de bom para você e quando for para o Brasil, vou te visitar sim, com certeza. Manda um beijo para a Marcia, a Flavia, os netos e um beijão para você

  • Passeando pelo Jardin du Luxembourg | Direto de Paris Responder    

    23 de fevereiro de 2013 at 5:17

    […] jardim para matar a saudade de Florença A história do Jardin du Luxembourg começou junto com o Palácio de mesmo nome, em 1612. Maria de Médicis, viúva de Henrique IV, não gostava do Louvre, que era a […]

  • Gosta de natureza, queijos e templários? Então, conheça Coulommiers | Direto de Paris Responder    

    12 de novembro de 2013 at 20:19

    […] castelo no lugar. O arquiteto era ninguém menos do que Salomon de Brosse, o mesmo que construiu o Palais du Luxembourg para a rainha Maria de […]

  • Marilda Responder    

    5 de março de 2014 at 1:15

    Oi Renata
    Sempre vou ao Jardin de Luxembourg, mas nunca entrei no palácio. Vou tentar marcar uma visita na próxima ida a paris.
    Bjs

    • Renata Inforzato Responder    

      6 de março de 2014 at 8:50

      Oi Marilda, tomara que dê certo! É lindo lá! Obrigada por sempre estar por aqui no blog. Um beijão

  • Bruna Responder    

    30 de março de 2015 at 17:33

    Oi, Renata

    Entrei em contato com o pessoal do Senado e hoje em dia não dá mais pra visitar esse lugar não, infelizmente.

    Olha a mensagem que recebi:
    We are sorry but in application of the security measures of the plan Vigipirate all the visits are cancelled. Best regards.

    • Renata Inforzato Responder    

      30 de março de 2015 at 18:14

      Oi Bruna, é que depois do atentado vários lugares ligados ao governo fecharam para visitas, mas é uma medida temporária. Por exemplo, a biblioteca do Hôtel de Ville também estava fechada e agora somente que reabriu. Vou escrever pra eles pra saber uma previsão. Um beijo e obrigada por comentar.

  • Gosta de natureza, queijos e templários? Então, conheça Coulommiers - Direto de ParisDireto de Paris Responder    

    9 de fevereiro de 2016 at 4:58

    […] castelo no lugar. O arquiteto era ninguém menos do que Salomon de Brosse, o mesmo que construiu o Palais du Luxembourg para a rainha Maria de […]

  • Direto de Paris - Jornalismo em Paris Responder    

    2 de setembro de 2017 at 21:26

    […] 5) Palais du Luxembourg – Apesar dele ser aberto para o público, não é tão fácil visitá-lo durante o ano. Mas, durante as Journées é uma das visitas mais concorridas. Chance para ver a cúpula da biblioteca pintada por Eugène Delacroix, um dos maiores pintores franceses. Chance também de saber como funciona o Senado Francês, cuja sede é ali. Para saber como é a construção por dentro e como visitá-la durante todo o ano (além das Journées), clique neste post. Endereço: 15 rue de Vaugirard – 75006 Paris. RER B: Luxembourg. Horários: das 9h30 às 17h30. Veja mais sobre a visita no post que escrevi sobre o Palais […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close