Igrejas

Capela da Medalha Milagrosa – um dos lugares de Paris mais visitados pelos brasileiros

24 de dezembro de 2013

A Capela da Medalha Milagrosa (Chapelle Notre-Dame de la Médaille Miraculeuse), situada na rue du Bac, é o lugar onde, segundo os católicos, ocorreu a aparição de Nossa Senhora das Graças. É uma das igrejas mais visitadas de Paris, principalmente pelos brasileiros. É até difícil tirar fotos boas de tanta gente que tem lá, então, já peço desculpas pelas fotos deste post.

medalha milagrosa

A história da capela começa em 1813, quando o governo dá o hôtel Châtillon, um palacete aristocrático, para as irmãs da ordem das “Filles de la Charité”. O lugar passa a ser a sede da congregação, fundada por São Vicente de Paula e por Luisa de Marillac (Louise de Marillac).

medalha milagrosa

Logo em seguida, começa a construção da capela, que termina em 1815 e é dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. Após as aparições de 1830, o convento recebe uma onda de noviças e tem que ser ampliado. Em 1849, a capela é reformada e nos anos seguintes sofre outras modificações. No centenário das aparições, em 1930, a igreja é quase totalmente modificada e adquire a aparência que vemos hoje.

medalha milagrosa
O órgão da igreja – estes dois quadros – São José e Santa Ana – estão na capela desde 1815

As aparições
Segundo fontes da época, relatos da própria vidente e documentos da Igreja Católica, Catherine de Labouré (Catarina) viu Maria por três vezes, em julho, novembro e dezembro de 1830. A jovem francesa, vinda da Borgonha, havia chegado ao convento naquele mesmo ano e era devota de São Vicente.

medalha milagrosa

Dizem que meses antes de ver Nossa Senhora, a moça teria visto o coração de São Vicente por três vezes. Em uma noite, rezando antes de dormir, teria pedido ao santo para ver a mãe de Jesus. Mais tarde, na mesma madrugada, teria sido acordada por um anjo, que lhe dizia que Maria a estava esperando.

medalha milagrosa
A história da santa contada nos muros externos da capela

Assim, foi a primeira das três aparições que Catarina teve. Em uma das visões, Nossa Senhora aparece soltando raios de luz das mãos, dizendo que gostaria que fosse feita uma medalha com aquela aparência e que todos que a usassem receberiam as graças, simbolizadas pelos raios.

medalha milagrosa

Ainda segundo os relatos, Catarina teria falado com o padre responsável pelo convento para fazer as medalhinhas, mas ele não acreditou no relato da noviça. Então, no começo do ano seguinte, ao terminar o período de formação, a jovem foi transferida para o asilo de Reuilly (Hospice d’Enghien-Reuilly), onde devia cuidar dos pobres e doentes da região. O lugar onde ficava o abrigo, que hoje faz parte do 12e arrondissement de Paris (perto da Gare de Lyon), era situado fora da cidade e famoso pela pobreza.

medalha milagrosa

No começo de 1832, começa uma epidemia de cólera que vai deixar mais de 20 mil mortos. Catarina, então, consegue convencer o padre a fazer as medalhas. Em junho do mesmo ano, as freiras começam a distribuir as medalhas. Dizem que as curas e conversões aumentam. Em 1835, já são mais de um milhão de medalhas espalhadas pelo mundo.

medalha milagrosa
Estátua de São VIcente de Paula e atrás algumas placas deixadas pelos fiéis

Catarina morre em 1876, aos 70 anos, no mesmo local onde trabalhara por 46 anos (o hospice de Reuilly). Somente às vésperas da sua morte é que as outras noviças descobrem que foi ela que viu Nossa Senhora. Ela foi canonizada em 1947.

medalha milagrosa
Mais placas dos fiéis

Algumas curiosidades da capela – para quem está de frente ao altar, vamos começar da direita para a esquerda

O altar das aparições – Foi o altar principal da capela de 1815 a 1856. Quando foi construído o altar principal que vemos hoje, ele foi transferido para a lateral. É chamado de altar das aparições porque teria sido o altar mostrado pela Virgem como o lugar de onde as graças seriam dadas às pessoas que as pedissem. É em mármore decorado com pedras preciosas.

medalha milagrosa
A imagem de São Vicente e o relicário, dourado

É nesse altar que hoje está a cadeira que teria sido usada por Nossa Senhora na primeira aparição. É ali que está também o relicário com o coração de São Vicente. Aliás, esse coração viajou. Durante a Revolução, ficou na catedral de Turim, depois, em 1805, ficou na de Lyon e só foi para a Capela em 1947. No altar, há, ainda, a imagem de são Vicente, feita em 1930 e um mosaico que envolve o santo e completa a cena.

medalha milagrosa
A cadeira

O altar do corpo de Santa Catarina – Em 1880, é erguido um altar no lugar onde Nossa Senhora teria ficado na segunda aparição, em 27 de novembro de 1830. Há uma imagem de Maria segurando um globo nas mãos, que foi a visão de Catarina nessa aparição. Ela é de 1930, obra de Real Del Sante, e realizada em mármore de Carrara. Em 1933, é realizada a exumação do corpo de Catarina, que estava na capela de Reuilly, e ele é, então, transferido para a Capela da Medalha. A frente do altar é recuada para ser o fundo do relicário.

medalha milagrosa

Aliás, quando exumaram o corpo da santa, ele estava intacto. Segundo os relatos, até mesmo os olhos de Catarina, de uma cor cinza-azulada, estavam inteiros. Ciência ou fé, o fato é que ele está lá, bem visível. O difícil é tirar foto, pois as pessoas ficam ajoelhadas bem em frente.

medalha milagrosa
O corpo de Catarina Labouré

O altar principal – Realizado em 1856 pelo escultor Maldiney. Ele foi realizado a partir de um dos dois blocos de mármore que o governo deu para a congregação em 1850. É decorado com esculturas douradas e medalhões.

medalha milagrosa

O segundo bloco de mármore foi usado para realizar a imagem que está nesse altar: Nossa Senhora está em cima do globo, pisando numa serpente. De suas mãos saem raios e ela é coroada por doze estrelas, que simbolizam os apóstolos. Essa imagem foi descrita por Catarina em suas memórias. A escultura foi realizada também por Maldiney. Nesse altar, está o único elemento no mesmo lugar desde 1815: o sacrário. Ele é em prata dourada e tem a forma de um templo grego.

medalha milagrosa

A estátua de São José – Data de 1914. Na época das aparições, havia um quadro de Santa Ana (hoje, é um dos quadros ao lado do órgão) e embaixo desse quadro, ficava a cadeira onde Maria se sentou na primeira aparição.

medalha milagrosa

Na parte esquerda da capela estão as relíquias de Santa Luisa de Marillac, uma das fundadoras da ordem das Filles de la Charité. O relicário é em bronze dourado e guarda uma imagem do corpo da santa em cera. O mosaico, de 1934, mostra um evento da vida da Luisa, segundo o qual ela teria sido iluminada pelo Espírito Santo em uma noite de 1623.

medalha milagrosa

O afresco principal – Na reforma de 1930, a elevação e o aumento da nave principal da igreja formaram um espaço grande no arco da abóboda. Então, recorreram a um jovem artista da escola de Belas-Artes de Paris, chamado André Mériel Bussy. Ele fez, então, uma pintura em azul claro, para combinar com os mosaicos recém-criados da capela, representando a primeira aparição de 1830: A Virgem, aclamada pelos anjos, apresenta a Catarina sua missão.

medalha milagrosa

No lado direito da capela, a Via-Sacra é representada em mármore de Carrara. Na parede esquerda, medalhões lembram dois episódios vividos pelas freiras durante a Revolução Francesa: no primeiro, quatro religiosas são levadas para a guilhotina. No segundo, duas irmãs se preparam para serem fuziladas.

medalha milagrosa
Indo para o fuzilamento

Bom, esse é o meu presente de Natal a todos os meus leitores. Tentei usar o máximo de jornalismo possível e não cair em questões pessoais de fé. Apesar de não frequentar nenhuma igreja, minha formação é católica. Então, sempre que preciso de paz, vou até a Capela da Medalha Milagrosa e fico lá, quietinha. Independente da religião, é muito bonito ver a fé das pessoas. Por isso, não deixa de ser uma visita interessante.

medalha milagrosa

Capela da Medalha Milagrosa
140, rue do Bac
75007 – Paris
Horários: Todos os dias, das 7h45 às 13h e das 14h30 às 19h
Terças-feiras: sem interrupções
Todos os anos, no mês de janeiro, a capela fica fechada durante 3 semanas, a partir das 19 horas do primeiro domingo do mês.
Metrô: Sèvres-Babylone, linhas 10 e 12.

medalha milagrosa

* Reserve hotel para Paris e outras cidades do mundo com o Booking
* Compre seu seguro de viagem com a Real ou com a Mondial
* Para fazer passeios e excursões, contate a ParisCityVision
* Para transfer e passeios privados, contate a França entre Amigos
* Compre ingressos fura-fila para várias atrações de Paris e outras cidades com a Ticketbar
* Alugue um carro com a Rentalcars
* Saiba mais sobre Cursos de idiomas no exterior

Renata Rocha Inforzato

Sou de São Paulo, e moro em Paris desde 2010. Sou jornalista, formada pela Cásper Líbero. Aqui na França, me formei em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X. Trabalho em todas essas áreas e também faço tradução, mas meu projeto mais importante é o Direto de Paris. Amo viajar, escrever, conhecer pessoas e ouvir histórias. Ah, e também sou louca por livros e animais.

Comentários (101)

  • Nilza Freire Responder    

    24 de dezembro de 2013 at 17:56

    Renata, conheço a Capela, mas não esses importantes detalhes que você ofertou a seus leitores, muito obrigada! Belo presente de Natal! Parabéns, o blog está lindo e informativo, contendo dicas muito úteis e indispensáveis para quem visita a nossa amada Paris!

    • Renata Inforzato Responder    

      25 de dezembro de 2013 at 21:01

      Oi Nilza, obrigadão pelo comentário. Feliz Natal pra você e um beijão

      • matheus Responder    

        17 de março de 2014 at 18:03

        Renata tu indica alguma pousada barata para ficar dois dias em Paris?
        Grato, Matheus estou indo início de maio e não sei onde ficar. Sou católico. Estou a Roma para canonização de João Paulo II e vou aproveitar para conhecer Lisieux e PAris.

        Grato.

        • matheus Responder    

          17 de março de 2014 at 18:04

          Obrigado pelas fotos desde já

        • Renata Inforzato Responder    

          17 de março de 2014 at 19:25

          OI Matheus, procura no google o hostel Le D’artagnam. É um albergue bem em conta. Um abraço

    • cristina Responder    

      23 de maio de 2017 at 0:46

      gratidão.

  • Fernanda Responder    

    24 de dezembro de 2013 at 19:19

    Nossa, como tem + gente religiosa por aí do q a gente imagina! Eu não visitei essa capela quando estive em Paris e não colocaria nos meus planos para uma próxima visita, considerando o tanto de coisas que tem pra ver na cidade. Mesmo tendo estudado a vida inteira em colégio católico…

    • Renata Inforzato Responder    

      25 de dezembro de 2013 at 21:00

      Oi Fernanda, a maioria das pessoas aqui é católica não praticante. Os que visitam as igrejas muitas vezes é pelo valor histórico. Já na capela da Medalha, o que mais vi foram italianos e brasileiros. Obrigada pela visita, beijos

      • Suzana Responder    

        9 de junho de 2014 at 18:55

        Visitei Paris no final de maio e a melhor parte dessa viagem foi a visita a essa Igreja, para mim foi emocionante! Amei e orei muito. Indico a visita ao local, Igreja e linda e a historia maravilhosa.

  • Marilda Responder    

    25 de dezembro de 2013 at 2:39

    Oi Renata
    Obrigada pelo presente dessa descrição tão detalhada. Eu já fui duas vezes e é realmente um lugar muito bonito. Na última vez, fui procurar uma freira para benzer as medalhinhas que havia comprado e fui atendida por uma freirinha de Minas Gerais (!!), muito simpática.
    Um amigo que mora aí em Paris, me levou na Chapelle St. Vincent de Paul, na 95, rue de Sèvres, bem perto da Medalha Milagrosa. Lá está o corpo de São Vicente de Paula, atrás do altar. Se não me engano, ali era a Capela de São Lázaro (me corrija se eu estiver errada).
    Quanto mais leio suas matérias, mais vontade me dá de voltar a essa cidade verdadeiramente maravilhosa!
    Bj grande e Feliz Natal !

    • Renata Inforzato Responder    

      25 de dezembro de 2013 at 20:59

      Oi Marilda, sim é na antiga capela de São Lázaro que está o corpo de São Vicente. Não a conheço ainda…E que interessante você encontrar na capela uma freira de Minas Gerais… Obrigadão pelo comentário e Feliz Natal pra você também. Um beijão

  • Monica Toledo Responder    

    27 de dezembro de 2013 at 21:15

    Tenho uma fé imensa e uma dívida eterna. É o primeiro lugar que vou sempre que chego a Paris. Logicamente eu já conhecia a história, mas foi um alento lê-la novamente através de seu texto.

    • Renata Inforzato Responder    

      28 de dezembro de 2013 at 20:27

      Oi Monica. Você foi uma das pessoas lembradas quando escrevi esse texto. Um beijão e obrigada

  • Marilda Responder    

    28 de dezembro de 2013 at 1:50

    Oi Renatinha
    Eu de novo! Falando em crenças, religiões e visitas, pergunto: vc já visitou ou já ouviu falar no túmulo de Alan Kardec, no cemitério Père Lachaise? Não, eu nunca fui lá, mas dizem que é muito visitado por brasileiros (aliás, praticamente, só por brasileiros) e que está sempre ornamentado com flores. Dizem tb que Kardec (aliás, Hippolyte Léon Denizard Rivail) é um ilustre desconhecido na França e as pessoas ficam espantadas quando vêm o número considerável de visitas que o túmulo dele recebe.

    • Renata Inforzato Responder    

      28 de dezembro de 2013 at 20:32

      Oi Marilda. Que coincidência! Um dos próximos textos que tenho preparado é sobre o Père Lachaise. O problema é que reuni muita coisa pra fazer a pesquisa e tirei mais de mil fotos (3 dias de visita). Então, acho que só sai ano que vem. Então, é verdade! O túmulo do Kardec só tem brasileiros e sempre tem vários. Ele sempre está com flores, que levam pra ele. Assim como nos centros espíritas daqui, a grande maioria das pessoas que frequentam é brasileira. Beijos e obrigada por sempre estar aqui

  • Eliane Mota Responder    

    28 de dezembro de 2013 at 13:33

    Nossa!!!! Estou encantada com as tuas pesquisas, são claras, rasteira e inteligentes. Muito obrigada, abraçossssssss

    • Renata Inforzato Responder    

      28 de dezembro de 2013 at 20:51

      Oi Eliane! E eu fiquei encantada pelo seu comentário. Obrigadão, palavras assim animam a gente 🙂 beijos

  • Milena F. - Viver Plenamente Paris Responder    

    1 de janeiro de 2014 at 18:35

    Obrigada, eu não conhecia todos esses detalhes, e realmente sempre me surpreendi com o quanto os brasileiros são fascinados por essa Capela.
    Geralmente quem visita as igrejas aqui da Europa é pelo lado historico ou arquitetônico, mas o caso da Capela Milagrosa é por fé mesmo, e eu admiro muito isso.
    Tb não sou praticamente, mas gosto muito de visitar igrejas, que para mim vai além do valor historico e arquitetônico, jah que sinto muita paz sempre que me encontro numa.

    • Renata Inforzato Responder    

      2 de janeiro de 2014 at 22:42

      Oi Milena! Você descreveu bem o tipo de visita do pessoal. E tenho o mesmo sentimento do que você quando visito uma. Obrigada pelo comentário. Um beijão

  • Renata Responder    

    9 de janeiro de 2014 at 21:37

    ola Renata!

    Parabens pelo post, super completo. Estou na frança e amanha vou pra Paris, certeza que vou à capela, ainda não conheço.
    Depois conto o que achei. Bjo

    • Renata Inforzato Responder    

      10 de janeiro de 2014 at 10:49

      Oi Renata, quero saber sim o que achou. Espero que sua estadia em Paris seja ótima. Obrigada pela visita, um beijo

  • Jean philippe Perol Responder    

    11 de janeiro de 2014 at 9:25

    Parabéns Renata, un excelente artigo. Turismo religioso e muito importante na França e essa capela ė um dos grandes atrativos dos brasileiros. Abraço

    • Renata Inforzato Responder    

      12 de janeiro de 2014 at 9:48

      Oi Perol. A França é um dos raros países que se destacam em vários tipos de turismo e isso me impressiona. Adoro. Obrigada pela visita e um abraço

  • Sylvana Responder    

    30 de janeiro de 2014 at 1:26

    Renata,
    Gostaria de agradecer as imagens postadas da Capela.
    MILAGRES, Verdadeiros MILAGRES, MARIA , a MÃE
    de JESUS tem feito na minha vida.
    Visito a Capela todas as noites e rezo quietinha, através da
    visita guiada , no site oficial, e fico ali, perto da Mãe de
    Jesus. É impressionante como sinto-me bem e ás vezes,
    rezando , o pensamento viaja e me transporto para lá, para
    a Capela da Rue du Bac, em Paris.
    Um grande abraço, Sylvana.

  • Cintia Pelisario Responder    

    7 de fevereiro de 2014 at 19:59

    Olá Renata,
    Lindo relato que vc fez, eu fui conhecer Capela da Medalha Milagrosa em abril de 2013, foi o primeiro lugar que conheci em Paris, é linda e emocionante estar lá… mas tenho que voltar, quando fomos havia uma filmagem e nem pudemos chegar perto do corpo de Santa Catarina Labouré.
    Vc enriqueceu com muitos detalhe seu relato, a capela ficou ainda mais linda.
    Obrigada, um abraço

  • Elisa Helena Gemi Belé Responder    

    27 de fevereiro de 2014 at 11:18

    Olá Renata! Adorei suas explicações e relatos, estive na capela e não percebi tudo isso que vc descreveu, agora vejo o quanto tudo lá é maravilhoso. Abraços.

  • nilza Caruso Responder    

    9 de março de 2014 at 15:13

    Olá Renata! Parabéns e obrigada por informações preciosas. Amo Paris e já fui 2 vezes com meu marido. Não conhecemos, ainda, a Capela da Medalha Milagrosa, mas agora em maio iremos novamente em Paris, e certamente iremos conhecer essa casa de oração. Sou devota de Nossa Senhora das Graças.

    • Renata Inforzato Responder    

      11 de março de 2014 at 21:52

      Oi Nilza, muito obrigada pelo comentário. Você vai gostar, eu acho. Espero que tenha uma ótima viagem. Beijão

  • vani castelan Responder    

    10 de abril de 2014 at 18:43

    adorei pois sou devota de nossa senhora das gracas continue divulgando muito obrigada

  • carlos Responder    

    13 de abril de 2014 at 16:12

    Oi Renata, conheci essa Igreja graças a seu blog, muito linda realmente e do lado de quebra tem o Bon Marche rsrsrsr, ainda deu para fazer algumas comprinhas, mas voltando a Igreja aproveitei e também passei na lojinha e comprei a medalha, tudo muito cuidado e limpo, vc poderia também abrir espaços para nós postarmos as fotos desses lugares tão lindos que visitamos, fica a dica para vc .
    Abraços

  • aldaiza Responder    

    16 de abril de 2014 at 13:36

    Renata, vamos para Paris no dia 08/05 e vamos ficar hospedados no Quartier Latin, bem em frente ao Jardim de Luxemburgo. Gostaria de saber se esta igreja fica muito longe, pois estamos em nove pessoas e todos querem fazer essa visita. Tem algum ponto de referência conhecido perto dela pra gente se basear, pois não conhecemos Paris e estamos indo por nossa conta, sem guia.

  • Maria Aparecida Martins Responder    

    1 de agosto de 2014 at 1:36

    obrigada pela postagem,já estive aí,mas foi muito rápido não deu pra conhecer os detales da história…muito bem explicado…pretendo voltar,e aproveitar mas este lugar de oração e fé..bjjjjj

  • Lucia Elisa da Cunha Lucas Responder    

    8 de outubro de 2014 at 3:15

    Olá Renata,
    Não sei se consegui publicar meu comentário, por isso, desculpe se estiver repetindo. Ganhei em 2004 uma medalha milagrosa e nunca tinha tirado do pescoço até ser assaltada no ano passado. Sem ela, estou sempre sentindo que algo está faltando. Não tenho como ir a Paris tão cedo. Gostaria de saber se há como encomendar pela Internet e, se não for possível, se você teria como me dizer o valor para que eu peça a alguém para trazer. Gostaria de comprar uma igual a que perdi, de ouro, com mais ou menos 2 cm de comprimento. Agradeço desde já. Lucia Elisa

  • Maria Mirtes da Silva Roncato Responder    

    27 de novembro de 2014 at 11:57

    Gostei do seu trabalho feito sobre a capela da Medalha milagrosa ,sucesso nos seus estudos,felicidades!

  • Sonia Maria Rotta Haipek Responder    

    27 de novembro de 2014 at 16:59

    Conheci a capela da MEDALHA MILAGROSA no dia 4 de novembro de 2008 ,dia do meu aniversário, e foi para mim o maior presente que ganhei pois nāo acreditava estar ali naquela capela olhando pessoalmente para a minha querida māezinha NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS !!! Parabéns por sua iniciativa !!!

  • ducilene monteiro Responder    

    9 de dezembro de 2014 at 21:22

    Renata ,você pode me informar como adquirir uma medalha milagrosa,da capela em Paris.desde já agradeço muito obrigada.Um beijo

  • Perpe Brasil Responder    

    5 de janeiro de 2015 at 0:46

    Olá Renata. Estive na capela fazem uns 5 anos atraz.Agora estou indo a Paris com os filhos festejar 50 anos de casada .Gostaria de saber se posso ter uma benção especial mesmo numa celebração de rotina.Você pode me enviar o e-mail da capela ?sua reportagem está ótima.Lhe agradeço e desejo um AnoNovo promissor.Bjss

    • Renata Inforzato Responder    

      7 de janeiro de 2015 at 16:29

      Oi Perpe. Dá uma olhada no texto que eu coloquei o link do site da capela e lá mesmo você fala com eles. Mas, se não me engano, é pago. Aqui até pra colocar o nome dos mortos na celebração é pago (ao menos nas igrejas que fui). Um beijo e obrigadão pelo comentário

  • maria mello Responder    

    22 de janeiro de 2015 at 17:37

    gostei mto do que vc escreveu de nossa senhora das graças, se a vontade dela for a mesma que a minha em 2016 com certeza irei conhecer a casa dela!!
    abraços e sejas feliz

    • Renata Inforzato Responder    

      22 de janeiro de 2015 at 22:27

      Oi Maria, vc vai conhecer sim. Um beijo e obrigada pela visita e pelos votos. Seja feliz vc tb

  • Izabel Responder    

    19 de fevereiro de 2015 at 0:45

    Adorei este lugar e com certeza quando voltar a Paris irei visitar novamente.

  • José Emílio Nico Responder    

    10 de março de 2015 at 14:57

    Oi Renata, parabéns pela excelente matéria.
    Já estive 2 vezes na Capela da NSMM em Paris mas ainda me resta uma dúvida quanto a Catarina Labouré: aquele é realmente o corpo dela? Se sim, obviamente que não retrata a idade que ela faleceu (70 anos).
    Grato

    • Renata Inforzato Responder    

      10 de março de 2015 at 23:17

      Oi José, é o corpo dela, mas o rosto é protegido por uma máscara de cera. Obrigada e um abração

  • sergio Responder    

    12 de março de 2015 at 13:04

    bom dia. infelizmente meu post oferecendo 3 medalhas nao foi publicado. Era um gesto de compartilhar com outras pessoas que talvez nao possam ter a oportunidade de aceder as medalhas. Encontrei 3 pessoas do meu convivio e compartilhei a historia da capela atraves do seu link e ofereci a cada uma a medalha. Cumprimento-a pela maneira ilustrativa que contou a historia da Capela. Parabens!

    • Renata Inforzato Responder    

      12 de março de 2015 at 21:00

      Oi Sergio obrigada por compartilhar o link. Mas o seu primeiro comentário era quase uma corrente e não é seguro as pessoas darem seus endereços aqui. E apesar de falar da capela, esse é um blog de viagens e não religioso. Um abraço

  • ´Roberlane godoi Responder    

    25 de abril de 2015 at 19:42

    Sou engenheiro aposentado. Li sobre a vida da santa Catarina Labouré .Uma pergunta:
    Existe ainda o local onde a Catarina dormia ?Quando foi chamada, ela teve de fazer um percurso grande até chegar a capela ? Pelas fotos, a capela fica no fundo e as laterais são prédios com janelas.
    Será que o dormitório ficava na lateral da entrada da capela ?
    Agradeço a atenção

    Roberlane

    • Renata Inforzato Responder    

      25 de abril de 2015 at 21:17

      Oi Roberto, ainda tem o convento na capela, mas a gente não pode entrar. Então, não dá para saber onde ficava o quarto dela. Obrigada pelo comentário. Um abraço

  • Vou a Paris, pretendo visitar a Capela de Notre -Dame. Responder    

    4 de maio de 2015 at 15:39

    Pelo comentário feito , achei lindo e meu filho pediu para trazer medalhas, sou católica por isso me interessei muito.

  • Eralci Responder    

    30 de maio de 2015 at 16:56

    Querida Renata, gostei muito das suas posturas sobre a Capela e a Casa Mãe da Medalha Milagrosa! Agradeço muito por todos os seus textos e fotos. Bjs. Eralci

  • Antonia Lucia Pereira Vilela Responder    

    31 de julho de 2015 at 2:37

    Oi Renata, boa noite! Gostei muito das suas fotos e da sua dissertação sobre a Capela da Medalha Milagrosa. Estarei em Paris nos dias 19, 20 e 21 de agosto no hotel Íbis
    Opera La Fayette , 19, Rue Buffault Paris. Como faço para chegar até essa capela?
    Você sabe se os horários das missas? Aguardo sua resposta! Se você achar melhor pode me telefonar que eu retorno para você. O meu numero: 61 3272 1352.
    Obrigada!

    • Renata Inforzato Responder    

      31 de julho de 2015 at 12:25

      Oi Antonia. Para saber como chegar à capela a partir do seu hotel, acesse o site http://www.ratp.fr e coloque o endereço do hotel e da capela q ele mostra e explica como fazer. Já para os horários das missas, clique no link que está no texto e tem todos os horários. O site vai abrir em português, senão vc muda o idioma. Obrigada

  • Ivo Castro Jr Responder    

    19 de outubro de 2015 at 0:56

    Belíssimo relato, já estivemos em duas oportunidades visitando a Capela da Medalha Milagrosa. Na última ocasião encontramos uma Irmã brasileira, que disse haver mais duas Irmãs conterrâneas, estávamos literalmente em casa e foi tudo muito bom. Visita para nós obrigatória quando ir a Paris. Parabéns pelo trabalho!

  • Fabio Bernardes de oliveira Responder    

    20 de outubro de 2015 at 21:48

    Oi Renata,
    Eu e minha esposa vamos a Paris no dia 25 de abril do ano que vem. É um domingo! Gostaria de saber os horários de missa na Capela. Vc poderia nos informar?
    O seu site é muito bom. Parabéns! Qeremos comungar do Corpo de Cristo na Capela da Mãe. É uma graça muito grande! Um abraço.

    • Renata Inforzato Responder    

      20 de outubro de 2015 at 22:47

      Oi Fabio, no link da capela que coloquei no texto tem todos os horários de missas. Um abraço e obrigada

      • Anaximandro Ribeiro Responder    

        23 de novembro de 2015 at 19:50

        Olá Renata. Estou em Londres e gostaria de saber se sexta feira, dia 27 de novembro, a capela vai funcionar normalmente. Obrigado.

        • Renata Inforzato Responder    

          23 de novembro de 2015 at 20:23

          Oi Ana, no post tem o link da capela. Escreva para elas ou telefone que elas respondem. Pode escrever em português. Um abraço

          • Anaximandro Ribeiro

            23 de novembro de 2015 at 20:58

            Obrigado Renata

  • Ludi Responder    

    22 de novembro de 2015 at 0:54

    Sou devota de N. Sra. Das Graças. Nunca fui à França. Aos amigos que vão, sempre sugiro a Rue du Bac e peço para trazer medalhinhas para mim. Nao foi nem uma nem duas vezes que me agradeceram pela dica, dizendo que a ida à Chapelle supera em paz qualquer outro lugar em Paris. <3

  • Enir Beckmann Responder    

    12 de dezembro de 2015 at 14:49

    Apareceu de repente na minha bolsa, uma pequena imagem da N.S. da medalha milagrosa! Eu nao comprei. Ninguem me deu! Foi um misterio !Eu com certeza teria comprado uma maior,pois essa mede 1 centimetro.Ninguem teria me presenteado uma imagem tao pequenina!Desde entao fiquei muito devota dela. Apequenina imagem esta sempre comigo desde entao.Em 13 d2 marco, de 2015 tinhamos viagem marcada para Europa , iniciando por Paris onde meu primeiro Compromisso seria a Capela da rua de Bac.Infelizmente nao pude embarcar , tive que cancelar a viagem!! Minha filha e marido foram e visitaram a Capela. Eu estive muitas vezes em Paris, mas esta viagem era tao importante para mim.Fiquei muito triste! Mas em 2016 pretendo realizar esse desejo de estar pessoalmente na Capela..

  • Ana Adipietro Responder    

    20 de janeiro de 2016 at 19:16

    Gostaria de conhecer Arles,Nimes e Carcassone!
    À partir de Paris como fazer?Pertencem a uma mesma rota???
    Isto será entre setembro e outubro de 2016
    Tem outra sugestão nesta mesma rota?
    Quantos dias necessito para conhecer sem correria?
    Me hospedo em um só lugar??
    Obrigado!!

    • Renata Inforzato Responder    

      20 de janeiro de 2016 at 20:30

      Oi Ana, Arles e Nimes é bem perto. Eu incluiria Avignon, que é perto também. Você pode se hospedar em Avignon e fazer passeios por elas. Tem gente que faz bate e volta em cada uma, mas isso depende do seu ritmo. Eu sou lenta. De repente você pode fazer sua base em Avignon, uns dois ou três dias para conhecer a cidade e pernoitar nas outras. Outubro é baixa temporada, temperaturas suportáveis e preços mais baixos. Já Carcassonne é mais de 200 km de distância, então, você pode ir antes de ir para Avignon ou depois, mas nem pensar em fazer bate e volta. Se você estiver de carro, no caminho de Avignon para Carcassonne, pode parar e dormir em Montpellier, que é maravilhosa. Dê uma olhada nos meus posts sobre Arles http://diretodeparis.com/tag/arles/ . De Paris, para essas cidades é por trem. Olhe no site http://www.sncf.com e simule as viagens de Paris/Avignon/Carcassonne Um abraço

  • Sylvana Responder    

    9 de março de 2016 at 16:35

    Amo esse o lugar, tem sido meu refúgio nos intervalos do almoço do meu trabalho.

  • Paula Responder    

    7 de abril de 2016 at 13:41

    Ola!

    Parabens pelo blog.

    Iremos visitar esta igreja sem duvIda!

    Ha valor de entrada?

    Obg!

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      11 de abril de 2016 at 20:53

      Oi Paula. As igrejas na França não cobram entrada. Um abraço

    • SYLVANA PINHEIRO HOLANDA Responder    

      13 de julho de 2016 at 16:33

      Cara Renata,

      Gostaria de pedir para que alterasse o meu email, agora spinheiroholanda@gmail.com para que eu pudesse continuar recebendo as suas postagens.

      Sylvana

      • Renata Rocha Inforzato Responder    

        14 de julho de 2016 at 13:47

        Oi Sylvana, infelizmente não sou eu que altero, é a pessoa que escolhe se quer receber ou não. Bom, vc pode se inscrever na newsletter (olha a home do blog) ou curtir as redes sociais do blog, pois sempre anuncio lá os textos novos. Mas acho que também agora que vc comentou, esse novo email vai receber as atualizações. Obrigadão por seguir o blog, viu? Um beijão

  • José Eduardo Olivo Responder    

    17 de junho de 2016 at 20:22

    Cara Renata, achei hoje jogado no chão um pedaço de rosário, e para meu espanto pela terceira vez encontro a medalha de Nossa Senhora das Graças, procurei mais referências e fiquei encantado com as imagens oferecidas por Vc em seu “diretodeparis.com”, obrigado pelas imagens e um abraço no coração. Prof. J.E. Olivo. DEQ/UEM/PR/BR
    Quando for a capela reze um pouquinho para que o nosso planeta não continue a ser devastado pela ganancia humana. Obrigado.

  • Gustavo bravo Responder    

    14 de novembro de 2016 at 16:14

    Renata, Boa tarde. Sou devoto de nossa senhora das graças e gostaria de saber se tem por onde pedir uma medalha direto do Convento, ou igreja e tal.. Obrigado

  • Sueli Juriolli Responder    

    28 de dezembro de 2016 at 19:06

    Li toda a materia, maravilhoso texto, parabéns! Reli para encontrar esse. Link que vc disse e não encontrei. Vc saberia o preço da medalha?
    Obrigada,

    • Renata Rocha Inforzato Responder    

      29 de dezembro de 2016 at 23:35

      Oi Sueli, ali no final do texto, quando coloco os horários da igreja, o nome dela está azul. O link é ali, por isso que o nome está azul. O preço da medalha não sei, faz um tempo que não vou lá. Um abraço

  • Izabel C B Eastman Responder    

    25 de janeiro de 2017 at 3:37

    Você sabe se há missas na Capela abertas ao público? Se há só em francês ou em outros idiomas? E se há Missas em quais horários? Vou completar 30 anos de casamento e gostaria de ir à missa na capela neste dia…..
    Izabel-Florianópolis

  • Jacqueline Responder    

    30 de janeiro de 2017 at 12:39

    Bom dia Renata, voce sabe informar como posso agendar uma missa de bodas? É possível? Agradeço se puder me dar alguma informação. Faremos 25 anos de casados e estaremos em Paris, queria muito uma celebração, mesmo que fosse a simples menção das bodas durante a missa. Obrigado.

  • Maria da Graca Cunha Responder    

    19 de fevereiro de 2017 at 3:09

    Oi Renata um amigo foi Paris e qdo retornou disse q foi numa igreja e n sabia dizer pq lembrou de mim e mostrou-me a foto nem o nome da sta ele sabia. Depois de 3 anos fui a Paris e sempre dizendo a minha amiga vamos visitar a capela da N S ddas Gracas passamos 20 dias la e 3 dias antes de retornar ao Brasil consegui encontrar a capela e p minha surpresa era a mesma q meu amigo disse ter pensado em mim ao entrar na igreja. Fiquei emocionadissima frente aquela maravilha. Espero ter a oportunidade de voltar la e apreciar fatos q nao vi mas q mencionaste . Obrigada por nos favorecer c tuas dicas.

  • Jociani Responder    

    6 de maio de 2017 at 15:08

    Ola Renata, amei suas informações sobre Paris em especial a Capela da Medalha Milagrosa. Estou me programando para ir a Paris com minha familia em Janeiro de 2018. Vi nas suas informações que a Capela fica fechada nas tres primeiras semanas de janeiro. Ela fica o dia inteiro fechada ou so um determinado horario.???

  • Marcello Gomes Simões Responder    

    14 de novembro de 2017 at 23:13

    Como é lindo este lugar, já conhecia a história através de livreto que ganhei com a medalha, mas suas fotos são perfeitas é uma das minhas três mãezinhas do céu que eu sou devoto as outras duas são Nsa. Aparecida e Nsa.Fátima, dia 27 de novembro é comemorado o dia dela, o seu relato as suas fotos me deixaram mais ainda c vontade de conhecer a Capela.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Direto de Paris usa cookies para funcionar melhor. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close